Renúncia

PLANO DE AULA
1. TEMA: Renúncia.
2. OBJETIVO: As crianças deverão compreender o valor da renúncia , como qualidade importante para
o nosso progresso espiritual. O egoísmo é o oposto da renúncia.

4. AULA:
a) Incentivação inicial: Diálogo.
FEIJÃO COZIDO MISTURADO COM FEIJÃO CRU: compreender pelo paladar.
Levar um pouco de feijão cozido, inteiro e temperado, com alguns grãos crus, misturados.
Servir em pequenas porções, para que as crianças separem os crus dos cozidos.
COMENTAR:
O feijão cru é aquele que não se deixou cozinhar: não cumpriu com a sua finalidade, foi egoísta.
O feijão cozido, ao contrário, cumpriu a sua finalidade, deixou-se cozinhar para ser agradável ao paladar: renunciou.
b) Desenvolvimento: Exposição:
Jesus - Governador Espiritual da Terra - nos deu os maiores exemplos de renúncia:
a) Tomou um corpo de carne, numa manjedoura, a fim de nos ensinar o evangelho, ELE MESMO, até
o sacrifício na cruz.
b) Foi obrigado a largar o corpo na cruz, renunciando a qualquer queixa, exemplificando a verdadeira renúncia.
c) Voltou aos apóstolos que o abandonaram na cruz, em Espírito e verdade, sem reclamar,
motivando-os para a difusão do evangelho.
PARA FICAR MAIS CLARO O VALOR DA RENÚNCIA, vamos contar um diálogo entre Jesus e a
sogra de Simão Pedro.

Narrar o diálogo.

c) Fixação: Interrogatório.
Dar uma folha a cada criança, para completar as lacunas.
Dialogar com elas sobre as 3 frases reveladas pelas palavras chaves.
d) Material didático:
Feijão cozido misturado com um pouquinho de feijão cru.
Copinhos e colheres de plásticos, para servir.
Folha com o exercício “completar as lacunas”.
Folha com o pequeno conto.

3. BIBLIOGRAFIA:
Lc, 14: 33 “(...) quem não renuncia não pode ser meu discípulo.” Jesus.
LE, 893 “A sublimidade da virtude está no sacrifício do interesse pessoal.”
ESE, cap. 17, itens 3 e 4.
Jesus no Lar (Néio Lúcio / F.C.Xavier), cap. 2 (conto adaptado).
O Espírito da Verdade, cap. 59.
Caminho, Verdade e Vida (Emmanuel / F.C.Xavier), cap. 154.
Instruções Psicofônicas (Bezerra de Menezes / F.C.Xavier), cap. 1.

RENUNCIAR PARA EVOLUIR


(conto adaptado)

DESENHO Nº 1:

Certa noite, quando Jesus e seus discípulos terminaram os trabalhos do dia, reuniram-se na casa de
Simão Pedro para mais um estudo do Evangelho no Lar.
A sogra de Pedro, mostrando-se angustiada, perguntou a Jesus:
– Senhor, afinal de contas, que vem a ser a nossa vida no Lar?
– O lar é a escola das almas, o lugar onde Deus nos coloca a fim de crescermos do entendimento da Humanidade.
Onde se aprende a renunciar, completou Jesus.
Entretanto, a senhora estava chorando e acrescentou:
– Quando iniciamos as tarefas no lar, tudo é bom e cheio de esperanças e, com o tempo, tudo fica
amargo e cheio de espinhos...
Jesus, então, perguntou-lhe:
– Como você faz para servir o feijão à mesa?
Ela respondeu:
-– Primeiro, preciso lavá-lo para o colocar em uma panela de água fervente, até que cozinhe bem.
Então, o Mestre afirmou:
– Do mesmo modo ocorre com as pessoas. A família é como se fosse um caldeirão com bastante água
quente para que, juntos, todos possam se “amaciar” e serem aproveitados nos verdadeiros valores da vida.
As pequenas renuncias nos amaciam, afirmou Jesus.
A mulher retrucou:
– Mas há aqueles que, apesar de saberem o que fazer, não o fazem e continuam no caminho errado...
O Mestre continuou:
– O que você faz com o feijão que ficou duro?
– Eu os retiro da panela para que não machuquem a boca de quem for mastigá-los, respondeu a
senhora.

DESENHO Nº 2:

Jesus, então, concluiu:
- Também as pessoas que não são capazes de:
* renunciar à satisfação de seus desejos imediatistas;
* as que não se envolvem na ajuda ao próximo, serão “retiradas do caldeirão”, pois não terão condições de permanecerem juntas de seus companheiros, uma vez que estes estarão mais evoluídos, por que renunciaram mais...
Finalmente, a sogra de Pedro e os demais presentes puderam compreender a maravilhosa lição da
renúncia.

Espírito: Néio Lúcio
médium: Chico Xavier





ATIVIDADE:

0 comentários:

Postar um comentário