A mentira


Lucas estava feliz, porque iria passar as férias com os avós, que moravam no interior.
O dia chegou e a mãe o conduziu até lá, regressando no dia seguinte para cuidar dos filhos menores que ficaram em casa.

Naquela noite, antes de ir para a cama, disse Lucas:

--Vovô, conte-me uma das suas histórias!

O avô prontamente o atendeu, começando a narrativa:

"Há mais de cinquenta anos, numa bem desenvolvida cidade, vivia um menino que cultivava o triste hábito de mentir.
Chamava-se Mário.

Ele achava divertido enganar os amigos de sua idade, mas, também, não perdia oportunidade de enganar as pessoas mais velhas. Nem mesmo a velha babá era perdoada. Uma enorme falta de respeito.

Certa vez, saiu gritando pela rua que um incêndio estava se alastrando no hospital da cidade. Muita gente ficou aflita e
os homens juntaram cordas e baldes, correndo até lá para prestarem ajuda. Ao descobrirem que tinham sido enganados,
ficaram indignados e surraram o garoto.

No entanto, Mário não se emendou. Sempre que conseguia, enganava alguém. Como sempre acontece aos mentirosos, ao fim
de algum tempo Mário estava desacreditado e colocado à margem pelo povo.

Um dia, chegou ali um circo com animais como tigres, macacos e até um leão. Após a estréia, a jaula foi mal fechada e o
tigre escapou, colocando a população em perigo. Vários grupos de homens armados penetraram na floresta à procura da
fera e Mário acompanhou um dos grupos. Logo que chegaram à mata, ele foi se distanciando dos homens, até que não pudessem mais vê-lo. Então, de longe, ele gritou: 'Olha o tigre! Ele está aqui! Venham, venham depressa '

Os homens, em disparada, chegaram prontos para agarrá-lo, mas não viram nem sombra do tigre... Deitado no chão, o
garoto ria a mais não poder. Aborrecidos, exigiram que ele voltasse para casa e ele obedeceu. Ainda não havia caminhado
cem metros e eis que surge o tigre. Foi um tremendo berreiro! Gritos de pavor... pedidos de socorro... mas
ninguém tomou conhecimento. Mário pôs-se a correr e o tigre atrás.

Já sem forças, tropeçou e rolou por terra. A fera faminta caiu em cheio sobre o mentiroso. Nesse momento, um tiro
certeiro varou a cabeça do animal. Era um caçador que se embrenhara na floresta e naquela hora pôde salvar a vida do
menino. Uma coisa, porém, não se pôde evitar: as garras da fera dilaceraram o braço de Mário e o médico precisou amputá-lo. E assim o mentiroso ficou com um braço só."

-Muito obrigado pela história, vovô-disse Lucas.-Serei sempre honesto e verdadeiro. Mas, vovô, o senhor só tem um
braço? Por quê?

-Porque eu fui o menino mentiroso, e esta é a consequência dos meus atos.

Paulo Roberto Barbosa

2 comentários:

Cantinho Da Arte disse...

Boa Noite, gostei muito do seu trabalho muitas que eu estou lendo no seu blog tem me ajudao para realizar um melhor trabalho de evangelização infantil na casa de Jesus aqui no maranhão.Um abração Elaine

Unknown disse...

Isso aqui é tudo de bom.Amo vir aqui pesquisar material para os encontros de evangelização.Obrigada Lu.Te amamos

Postar um comentário