TEMA: CUIDAR DO CORPO


CICLO I - FAIXA ETÁRIA: 6 A 7 anos - 07/06/2003

• OBJETIVO INFORMATIVO: Informar à criança a importância do nosso corpo como veículo de comunicação do espírito. Através dele podemos nos expressar, nos comunicar. Falar sobre a nossa responsabilidade em cuidar dele, para que ele possa “funcionar direitinho”.
.
• OBJETIVO FORMATIVO: Levar a criança a ter a consciência e o dever de cuidar da saúde.
(necessidade da higiene do corpo, vestuário, alimentação).

MATERIAL:

1) PRECE INICIAL

2) INCENTIVAÇÃO INICIAL:
Brincadeira: Sr. Rei
(Pode ser cantado ou apenas falado) - Sr. Rei foi caçar e quando ele voltar, não quer ver nenhum "joelho" (todos escondem o joelho), Sr. Rei foi caçar e quando ele voltar não quer ver nenhuma mão (escondem as mãos) e assim por diante, as crianças adoram principalmente quando começar ficar difícil esconder as partes maiores do corpo.

3) DESENVOLVIMENTO:
Todos estamos sorridentes, bem dispostos corados... Estão felizes! Sabem por que estão assim bem dispostos? Saúde. O que é saúde? Saúde é o estado do nosso corpo. Quando não estamos doentes, tudo funciona direitinho, sem dores, febre, nada, dizemos que estamos “bem de saúde”. Quando não estamos bem de saúde, é sinal que estamos doentes, ou seja, algo não funciona bem.
Precisamos saber tudo aquilo que sirva para melhorar nosso corpo e nossa alma.
A finalidade de nossa vida não é apenas viver: é viver para nos tornarmos melhores. Devemos procurar ser melhores em tudo: na saúde, no trabalho, nossos sentimentos, etc.
Devemos procurar estudar, aprender, para adquirir conhecimento, pra crescermos inteligentes.
Devemos também cuidar do nosso corpo, repousar o suficiente, alimentar-se. Antes de tudo, o que nos faz viver melhor é a saúde. Sem saúde não podemos trabalhar. A saúde que Deus nos dá é uma riqueza que precisamos conservar. Uma pessoa sadia tem boa aparência, tem vontade de trabalhar, está sempre alegre, está sempre disposta a auxiliar os outros. A pessoa doente é abatida e triste. Não pode ter boa disposição para o trabalho. Sente-se infeliz.
As doenças nos fazem sofrer, as pessoas de nossa família também sofrem por isso. Consomem tempo e dinheiro e roubam a alegria de viver. A saúde muito depende de nós; daquilo que fazemos para conservá-la. Todos querem ter saúde, mas nem todos querem conservar a sua saúde.
O que podemos fazer para conservar a saúde?
Evitar os vícios, como o fumo, o álcool. Não tomar friagem, não andar descalço em chão frio. Não comer demais, apenas o que o nosso organismo aguenta. Comer frutas, verduras e legumes (às vezes são ruins, mas têm vitaminas de que nosso corpo precisa), não se esquecendo de lavá-los antes. Cuidar da higiene: escovar os dentes, lavar as mãos antes das refeições, antes de levar aos olhos.
As pessoas ficam doentes especialmente nestes casos:
- quando tem o corpo enfraquecido por alimentação deficiente
- quando não tomam o necessário cuidado com o asseio do corpo e da casa ou da pureza da água que bebem, assim como da comida.
- Quando não evitam insetos transmissores de doenças
- Quando não evitam os vícios

4) ATIVIDADE:
Propor a realização de um “manual de instrução de cuidados com o corpo”.
Sortear uma criança. No chão, um papel pardo grande.
A criança sorteada deitará no papel, fará uma “pose” e os demais “contornarão” sua silueta com canetinha.
Haverá, então, no papel, o desenho de um corpo. As crianças deverão completá-lo, acrescentando os detalhes e pintando.
Em seguida, colocar observações em cada parte do corpo, dizendo o que deve ser feito para preservar a saúde naquele local. Exemplo: puxar uma seta nos olhos e escrever: “lavar as mãos antes de coçar os olhos, não ler no escuro”.

5) AVALIAÇÃO/FIXAÇÃO:
Série de “O que é o que és”, cujas respostas devem ser partes do corpo. Quando as crianças acertarem, perguntar o que deve ser feito para preservar aquela parte. Se acertarem, ganham uma parte do corpo que será montado na lousa.

7) PRECE FINAL

8) BIBLIOGRAFIA
“Evangelização Infantil – Vol.III” – Mariluz Valadão Vieira – Editora Aliança1
Plano de Aula gentilmente cedido pelo Núcleo Espirita O Semeador, no grupo virtual de evangelização espírita infantil, grupos yahoo.

Aula sobre obediênca e resignação – Chico Xavier

Historinha:

Raul, era um menino muito esperto. Ele prestava atenção em tudo que acontecia na escola, na sua casa e na rua em que morava. Seus pais eram muito bons . Eles, os pais de Raul, trabalhavam muito, quase nunca descansavam ou se divertiam porque queriam dar tudo pro seu amado filho. Mas Raul tinha 2 defeitos que não eram legais: ele não gostava de obedecer ninguém e estava sempre querendo ter coisas caras que seus pais não podiam dar à ele. Ele reclamava de tudo e seus pais ficavam tristes com isso.
Um dia, ele queria ir brincar na rua e seus pais não deixaram. Ele fez muita malcriação, saiu de casa escondido e depois, com muita raiva, foi andando, andando, andando e sem perceber acabou se perdendo. Estava escurecendo e ele sentiu muito medo. Quanto mais escuro ficava, mais medo ele tinha e começou a pensar nos seus pais. Com frio, fome e muito medo, Raul sentou na calçada e começou a chorar muito.
Um tempo depois, uma menina junto com uma senhora, aproximou-se dele e perguntou
- O que você faz sozinho aqui, amiguinho? Cadê seus pais? Você está precisando de ajuda?
Raul respondeu, chorando:
- Sim! Eu briguei com meus pais, saí andando sem prestar atenção no caminho e me perdi. Estou com muito frio, muita fome e muito medo.
A menina, que se chamava Sara, pegou a mão de Raul e falou:
- Como é seu nome?
- Raul, ele respondeu.
Então Sara, carinhosamente, lhe disse:
-Meu nome é Sara e essa é Lucia, minha mãe. Vamos te levar para nossa casa e cuidar de você, enquanto pensamos em uma forma de te levar de volta para os seus pais. Você aceita?
- Aceito, respondeu Raul, se sentindo protegido.
Ao chegarem próximos a casa de Sara, Raul estranhou o lugar. Era um lugar muito pobre, feio, e a casinha de Sara era muito simples. Ele nunca tinha visto tanta pobreza. Apesar de tudo, as pessoas pareciam felizes ali. Sara tinha 3 irmãos e ela e seus pais moravam naquela pequenina casa; ele achou estranho que eles fossem tão alegres tendo tão pouco. Tudo era muito pouco quando ele comparava com tudo que tinha na sua casa. Ele não era rico, mas tinha tudo. Aí, ele se lembrou de todas as vezes em que reclamou com os pais porque eles não podiam comprar as coisas caras que ele queria, ou quando reclamava da comida que sua mãe fazia. Ele sentiu saudades de sua família...
Lucia, a mãe de Sara, era uma pessoa muito alegre e fazia tudo cantando. Ela forrou a mesa com uma toalha bem simples, colocou os pratos com comida para cada um e apesar da comida ser muito simples (só arroz com feijão), o cheiro era muito bom. Raul estava faminto e rapidamente pegou a colher. Então percebeu que todos estavam de olhos fechados e largando a colher, ele fechou os olhos também e nem sabia pra que. Nesse momento ouviu a voz de Sara:
- Jesus, abençoe a nossa comida, a nossa casa, a nossa família e o nosso amigo Raul. Obrigada, Senhor Jesus, por nossa saúde e por tudo que o senhor nos dá. Pedimos que nos ajude a encontrar a família do Raul, para que ele possa voltar feliz para a família dele. Amém
Depois da prece, todos comeram com alegria. A comida estava deliciosa.
O Pai de Sara fez algumas perguntas a Raul, pra ver se conseguia descobrir onde era a casa dele. Depois de algumas informações, acabou descobrindo o endereço do menino e o levou até seus pais. Eles estavam muito nervosos e chorando porque o filho tinha sumido. Quando viram Raul, correram e o abraçaram com muito amor. Raul se sentiu muito feliz nos braços dos pais e por estar de volta a sua casa.
Sara e o pai se despediram do novo amigo com um longo abraço. Prometeram se encontrar mais vezes e foram embora.
Depois que tudo se acalmou, Raul olhou para sua casa, suas roupas, brinquedos e para a comida rica que seus pais botaram na mesa. Lembrou-se da prece que aprendeu na casa de Sara e pediu aos pais que orassem com ele. Agradeceu, de coração, por tudo que tinha e por ter conhecido Sara e sua família.
Nunca mais Raul desobedeceu seus pais ou fez malcriações e passou a aceitar a vida que tinha, com alegria e simplicidade.
Raul aprendeu que a felicidade verdadeira é ter família e amigos.
Fim
Conversar com as crianças sobre a história que ouviram e perguntar se eles são como Raul e vivem querendo mais do que tem; se obedecem seus pais e se agradecem a Deus por tudo que tem.
Falar que o menino Chico Xavier foi muito pobre, que sua mãe morreu quando ele era muito pequeno e que por isso, seu pai teve que separá-lo dos irmãos. Cada um foi morar em uma casa diferente. Que ele, Chico, foi morar com a madrinha dele e que ela não tinha amor por ele e o fazia sofrer muito. Chico passou por muitas necessidades, como a saudade da mãe e dos irmãos.
Um dia, seu pai casou de novo com uma mulher muito bondosa e que ela juntou todos os irmãos dele, de novo. Chico ficou feliz.
A vida de Chico foi muito difícil; ele começou a trabalhar quando tinha 8 anos, teve muitas doenças, sofreu muito. Mas, Chico era como Sara: ele não reclamava de nada e agradecia à Deus por tudo que tinha.
Chico cresceu, escreveu muitos livros lindos, ajudou a todas as pessoas que conheceu, doava comida, remédios, passes, abraços e foi muito amado por todos que o conheceram.
Chico sempre amou Jesus acima de tudo. Chico só fazia o bem. Hoje ele é uma das estrelas mais brilhantes que tem no céu.
Chico Xavier é uma estrela que ilumina a todos nós. Obrigada, Chico!


O GRANDE BANQUETE













O HOMEM QUE AGRADECEU


Folhas de cartolina branca cortadas em quatro pedaços ( vai ficar um pouco maior do que o tamanho A4) – 1 pedaço por criança,
Giz de cera ou lápis de cor em tons de pele, marrom, preto, rosa, vermelho
Caneta bic preta
Cola ( opcional )

Durante a semana:
Providenciar o material, cortar as cartolinas em quatro pedaços, fazer um modelo para prevenir qualquer imprevisto

As crianças irão:
Dobrar a folha de cartolina ao meio no sentido horizontal de maneira que forme um cartão que abra por cima.


Com a canetinha preta, desenhar o contorno das duas mãozinhas abertas na frente do cartão, uma de cada vez. As crianças vão precisar de ajuda para desenhar o contorno das próprias mãozinhas.
 Em primeiro lugar, na pontinha de cada dedo,  com a canetinha preta, desenhar carinhas com olhos, boca, nariz e cabelinhos, barba, bigode... para representar os dez homens que foram curados por Jesus.

Depois, colorir o interior do desenho com giz de cera cor de pele (rosa, bege..) e os cabelinhos e barbas de preto ou marron.
Se suas crianças já escrevem, peça para escreverem abaixo das mãozinhas: "Dez homens Jesus curou..." Se eles ainda não escrevem, leve de casa a frase já impressa e as crianças vão colar.
Abrir o cartão e na parte de dentro colocar a mãozinha esquerda fechada em cima do papel e desenhar seu contorno.

Depois, colocar a mãozinha direita fechada, mas com o dedinho indicador esticado. Desenhar o contorno.

 Neste dedinho indicador desenhar uma carinha também. Colorir os interiores das mãozinhas fechadas com lápis cor de pele como nas mãozinhas do outro lado da folha... Não se esqueça de colorir o cabelinho deste também. Abaixo do desenho, escrever ou colar a continuação da frase escrita do outro lado do cartão:" .... mas para agradecê-LO, apenas um deles voltou."  Lucas 17: 11 a 19 Colocar também a passagem bíblica onde se encontra a história.
Pronto. Agora eles podem contar a história mostrando os dez homens curados e depois, abrir o cartão para mostrar que apenas um homem voltou para agradecer.











PEQUENA HISTORIA








FE