Pluralidade dos mundos habitados



OBJETIVO: Identificar os diversos planetas com as “moradas” da casa do Pai.

CONTEÚDO: - A casa do Pai é o Universo.  As diferentes moradas são os mundos que circulam no espaço infinito e oferecem, aos Espíritos que neles encarnam, moradas correspondentes ao adiantamento dos mesmos Espíritos. 
- Do ensino dado pelos Espíritos, resulta que muito diferentes umas das outras são as condições dos mundos, quanto ao grau de adiantamento ou de inferioridade dos seus habitantes. 
- Os espíritos que encarnam em um mundo não se acham a ele presos indefinidamente, nem nele atravessam todas as fases do progresso que lhes cumpre realizar, para atingir a perfeição. 
- Os veneráveis orientadores da Nova Revelação, guiando o pensamento de Allan Kardec, fizeram-no escrever a sábia declaração: “ Deus povoou de seres vivos todos os mundos, concorrendo esses seres ao objetivo final da Providência.

ATIVIDADE: 
1)      Iniciar a aula com uma prece;
2)      Ler uma frase do Evangelho Segundo o Espiritismo sobre o tema “Na casa de meu Pai existem muitas moradas” e fazer o comentário;
3)      Convidar os evangelizandos para a dinâmica “Dos mundos”. Em cada canto da sala deverá ser colocado um cartaz com os nomes dos Mundos( Mundos Primitivos, Mundos de Provas e Expiações, Mundos de Regeneração e Mundos Felizes)
colocar os envangelizandos no centro da sala, ao dizer uma característica do mundo de acordo com o Anexo 1 os evangelizandos deverão se dirigir para o mundo correspondente, quem acertar o evangelizador deverá dar um brinde(uma bala ou pirulito) no final ganha o jogo quem tiver o maior numero de brinde.
Encerrar a aula com uma prece.

RECURSOS: Cartazes.

Anexo 1
a) MUNDOS PRIMITIVOS: são mundos recém-formados, onde aparece a vida nos seus estágios iniciais. A Terra já foi um mundo primitivo.
b) MUNDOS DE PROVAS E EXPIAÇÕES: nestes mundos dominam as paixões ainda incontidas: a avareza e a violência gerando as guerras; o egoísmo gerando as injustiças sociais, etc., ou seja, o mal predomina sobre o bem. A Terra está, atualmente, nesta categoria.
c) MUNDOS DE REGENERAÇÃO: são mundos onde os espíritos já atingiram um mais alto grau de evolução,havendo, por isto mesmo, um ambiente de mais paz e entendimento entre os seus habitantes.
d) MUNDOS FELIZES: onde se vive num ambiente de amor e fraternidade, evidenciando-se, ali, todas as virtudes.

Quanto ao estado em que se acham e da destinação que trazem:
1. Mundos Primitivos – Destinados às primeiras reencarnações da alma humana onde a vida é toda material .
2. Mundos de Expiação e Provas – onde domina o mal (Terra);
3. Mundos de Regeneração – onde virtudes e defeitos se mesclam alternando momentos alegres e felizes com horas de amargura e sofrimento;
4. Mundos Ditosos ou Felizes – onde o bem sobrepuja o mal;
5. Mundos Celestes ou Divinos – habitações de espíritos depurados, onde exclusivamente reina o bem.
Mundos Primitivos ou inferiores:
- Os espíritos realizam suas primeiras experiências no plano material;
- São de certo modo, seres primitivos que o habitam, mas sem nenhuma beleza;
- Utilizam-se principalmente de instintos, não tendo desenvolvido a benevolência, nem sabem separar o justo do injusto;
- A força bruta é a única lei;
- Carentes de indústrias e de invenções, os seres passam a vida em busca de alimentos.
Mundos de Provas e Expiações:
- Os espíritos colhem os resultados de seus erros, predominando o mal porque há, ainda, muita ignorância;
- Os espíritos possuem grande imperfeição moral;
- Os seres encarnados têm a oportunidade de apagar o mal que realizaram através de boas atitudes;
- Neste tipo de Mundo, os espíritos lutam, ao mesmo tempo, com a perversidade dos homens e com a inclemência da natureza, desenvolvendo as qualidades do coração e a inteligência.
Mundos de Regeneração:
- São mundos de transição entre os mundos de expiação e os mundos felizes;
- Nestes mundos, os seres ainda se acham sujeitos às leis que regem a matéria, mas todos conhecem as leis de Deus e tentam cumpri-las;
- Os espíritos superaram as paixões, o orgulho, a inveja e o ódio;
- Não existe a felicidade plena, mas um início de felicidade.
Mundos Ditosos:
- Mundos onde há mais bem do que mal;
- Não há senhores, nem escravos;
- Só a superioridade moral e intelectual estabelece diferença entre os seres;
- Um laço de amor e fraternidade une os seres;
- Todos têm o necessário para viver, ninguém se acha em expiação (colhendo resultado de seus erros);
- Os seres buscam a perfeição espiritual, a fim de se tornarem espíritos puros.
Mundos celestes ou divinos:
- Mundos onde só há o bem;
- Os espíritos não estão mais sujeitos à encarnação em corpos perecíveis. Mundos onde habitam espíritos puros;
- Destino de todos os espíritos, a ser conquistado através da evolução espiritual.

Anexo 2

Há bilhares de anos atrás (antes da existência de nossa galáxia), um grupo de Espíritos habitava um dos planetas no universo. E entre eles estava Aquele que conheceríamos por Jesus. A vida naquele planeta (onde Jesus habitava) é bem diferente desta que conhecemos, pois, não havia a influência da matéria, predominava o bem e o amor entre eles. Jesus fazia parte desse grupo de Espíritos que vivia em perfeita harmonia e amor.
Um dia, Deus o chamou e disse-lhe: “Meu filho, por ser um Espírito de muito amor e conhecimento serás responsável por criar uma nova morada para alguns irmãos teus que estão em desarmonia com o amor e minhas Leis. Chama quantos precisares e começa teu trabalho. Estarei sempre contigo!”
Reunindo um grupo de Espíritos amigos inicia sua missão. Bem, se fazia necessário um “novo lar”, “uma nova casa” para acolher aqueles Espíritos rebeldes. Junto com sua equipe de amigos escolhe no universo um conjunto de estrelas no universo e, apartir de uma estrela maior ou Sol, faz com que ocorra uma grande explosão neste e então se separa vários pedaços que são os planetas conhecidos como: Mercúrio, Vênus, Terra, Marte, Júpiter, Saturno, Urano, Netuno, Plutão. Planetas que seriam ou são moradas de muitos Espíritos.
Jesus então escolhe um deles – a nossa querida Terra – e a faz passar por muitas transformações (após a explosão a Terra era apenas uma formação rochosa) até ficar como a conhecemos hoje, apresentando uma diversidade de ambiente: florestas, desertos, mares, etc., possibilitando a vida de várias espécies. Pois, então seguindo a evolução do planeta, surgem os animais, e o homem é colocado neste meio.
Vários Espíritos com o mesmo grau de desenvolvimento moral e intelectual, ou seja, com sentimentos e inteligência semelhantes, encarnam no novo planeta.
O tempo vai passando, a população vai crescendo e vão surgindo várias raças (brancos, negros, ruivos, etc.) e também vão surgindo às diferenças, as rivalidades, os homens não se respeitam, são cruéis, não perdoam ou, há muita injustiça e falta de amor. Jesus que acompanhava os passos dos homens na Terra, vendo a dureza de seus sentimentos, pede ao Pai que use sua misericórdia e alerte aos homens. E, Deus envia mensageiros, os profetas ou Espíritos muito bons que vem para falar sobre Sua existência e seu amor; vem trazer Leis e justiça para amparar e orientar o homem. Mas, mesmo assim movidos pelo orgulho e egoísmo, nem percebem os sinais que Deus envia.
Então, Jesus resolve: “Eu vou até lá!”. E nasce entre os homens, seus amigos espirituais o ajudam a encarnar. Ele vem como um homem simples e pobre, reúne um grupo – os apóstolos – e fala aos homens da importância do amor, do perdão, e da caridade, pois a vida na terra é passageira e sem essas virtudes não é possível evoluir moralmente e ser feliz.
Falou coisas lindas, deu exemplo de amor, fez até poesia com os lírios do campo, ensinou como rezar e que não estávamos sozinhos.
O homem não entendeu bem suas mensagens, e Ele morreu condenado na cruz por ter muito nos amado. Mas, tudo que ele ensinou está num livro – a Bíblia – que é o guia que nos conduz até o seu encontro num mundo de luz, paz e felicidade.
O que temos feito com que Jesus veio nos ensinar? Aprendemos algo de seus ensinamentos?


0 comentários:

Postar um comentário