Dica: desenhos para pintar


Oi,
Boa tarde!
Vou escrever porque gostei e não sei se todos sabem/conhecem este recurso.
Quando pesquisarem imagens utilizando o Google, se quiserem o desenho para pintar, dá pra pedir imagens e marcar a opção "Desenho linear".
Segue imagens para ver como fica...
Abraços,


GRATIDÃO



  • Perguntar as crianças:O quê é gratidão?Ouvir suas respostas
  • Em seguida perguntar:Por que agradecer?
  • Fazer a seguinte dinâmica com eles:
1º. vendar os olhos das crianças (pode ser no máximo três, podendo trocar de crianças depois).Deixar que elas andem pela sala com auxílio das mãos para identificar os lugares, e deixar que as outras crianças dêem dicas para elas não se machucarem.

Ao tirarem as vendas comentar o que acharam:quais foram as dificuldades, o que sentiram.

2° colocar uma música suave e pedir para elas ouvirem tentando identificar os sons (preferência música com sons da natureza).Depois deixar eles comentarem

Concluir:Viram como é importante os nossos sentidos?Perceberam como foi difícil andar num ambiente sem ver?Como teria sido difícil se não fossem as mãos, para apalpar, e os colegas para nos avisar dos obstáculos...Ouviram que música linda? Como seria se não tivéssemos audição?Só o silêncio...

Mas provavelmente vocês conheçam alguém que não tenha algum desses sentidos mas é feliz(deixar eles comentarem)!Provavelmente tenham outras formas de conseguirem viver bem apesar das limitações.

Por isso devemos ser gratos por tudo que temos na vida!

Então declamar a seguinte poesia ás crianças com auxílio de ilustrações:


Poema da Gratidão

Senhor Jesus, muito obrigada!
Pelo ar que nos dás,
Pelo pão que nos deste,
Pela roupa que nos veste,
Pela alegria que possuímos,
Por tudo de que nos nutrimos.
Muito obrigada, pela beleza da paisagem,
Pelas aves que voam no céu de anil,
Pelas Tuas dádivas mil!


Muito obrigada, Senhor!
Pelos olhos que temos...
Olhos que vêm o céu, que vêm a terra e o mar,
Que contemplam toda beleza!
Olhos que se iluminam de amor
Ante o majestoso festival de cor
Da generosa Natureza!
E os que perderam a visão?
Deixa-me rogar por eles
Ao Teu nobre Coração!
Eu sei que depois desta vida,
Além da morte,
Voltarão a ver com alegria incontida...




Muito obrigada pelos ouvidos meus,
Pelos ouvidos que me foram dados por Deus.
Obrigada, Senhor, porque posso escutar
O Teu nome sublime, e, assim, posso amar.
Obrigada pelos ouvidos que registram:
A sinfonia da vida,
No trabalho, na dor, na lida...
O gemido e o canto do vento nos galhos do olmeiro,
As lágrimas doridas do mundo inteiro
E a voz longínqua do cancioneiro...
E os que perderam a faculdade de escutar?
Deixa-me por eles rogar...
Eu sei que no Teu Reino voltarão a sonhar.



Obrigada, Senhor, pela minha voz.
Mas também pela voz que ama,
Pela voz que canta,
Pela voz que ajuda,
Pela voz que socorre,
Pela voz que ensina,
Pela voz que ilumina...
E pela voz que fala de amor,
Obrigada, Senhor!
Recordo-me, sofrendo, daqueles
Que perderam o dom de falar
E o teu nome sequer podem pronunciar!...
Os que vivem atormentados na afasia
E não podem cantar nem à noite, nem ao dia...
Eu suplico por eles
Sabendo que mais tarde,
No Teu Reino, voltarão a falar.


Obrigada, Senhor, por estas mãos, que são minhas
Alavancas da ação, do progresso, da redenção.
Agradeço pelas mãos que acenam adeuses,
Pelas mãos que fazem ternura,
E que socorrem na amargura;
Pelas mãos que acarinham,
Pelas mãos que elaboram as leis
E pelas que as feridas cicatrizam
Retificando as carnes partidas,
A fim de diminuírem as dores de muitas vidas!
Pelas mãos que trabalham o solo,
Que amparam o sofrimento estancam lágrimas,
Pelas mãos que ajudam os que sofrem,
Os que padecem...
Pelas mãos que brilham nestes traços,
Como estrelas sublimes fulgindo nos meus braços!
...E pelos pés que me levam a marchar,
Erecto, firme a caminhar,
Pés da renúncia que seguem
Humildes e nobres sem reclamar.
E os que estão amputados, os aleijados,
Os feridos e os deformados,
Os que estão retidos na expiação
Por crimes praticados noutra encarnação,
Eu rogo por eles e posso afirmar
Que no Teu Reino, após a lida
Desta dolorosa vida,
Poderão bailar
E em transportes sublimes com os seus braços também afagar.
Sei que lá tudo é possível
Quando Tu queres ofertar,
Mesmo o que na Terra parece incrível!


Obrigada, Senhor, pelo meu lar,
O recanto de paz ou escola de amor,
A mansão de glória
Ou pequeno quartinho,
O palácio ou tapera, o tugúrio ou a casa de miséria!
Obrigada, Senhor, pelo amor que eu tenho e
Pelo lar que é meu...
Mas, se eu sequer
Nem um lar tiver
Ou teto amigo para me abrigar
Nem outra coisa para me confortar,
Se eu não possuir nada,
Senão as estradas e as estrelas do céu,
Como sendo o leito de repouso e o suave lençol,
E ao meu lado ninguém existir, vivendo e chorando sozinho ao léu...
Sem um alguém para me consolar
Direi, cantarei, ainda:
Obrigada, Senhor, porque te amo e sei que me amas,
Porque me deste a vida
Jovial, alegre, por Teu amor favorecida...
Obrigada, Senhor, porque nasci,
Obrigada, porque creio em Ti.
...E porque me socorres com amor,
Hoje e sempre,
Obrigada, Senhor!


Autor:
Divaldo Pereira Franco ( médium )
Amélia Rodrigues ( espírito )

 

Depois do poema distribuir um lanche á eles exercendo a gratidão: a medida que entregar o lanche agradecer á Deus pela instituição onde tivemos a chance de nos encontrar ensinando e aprendendo juntos, agradecer pelas crianças que acordam cedo enfrentando o frio e o sono e nos dá o prazer de suas companhia e a oportunidade de reviver a alegria da infância!!!

Encerrar a aulinha com um desenho livre onde cada um agradecerá a Deus pelo que quiser.Quem preferir poderá escrever
.


RECICLAGEM: BRINQUEDOS












ATIVIDADES: VARIADAS





Rousseau Pestalozzi

A IMPORTÂNCIA DA DOUTRINA ESPÍRITA NO MOMENTO EVOLUTIVO
















Compreendendo a caridade






         Evangelho no Lar é o momento semanal em que a família se reúne para aprender os ensinamentos de Jesus, orar e também enviar boas vibrações para aqueles que necessitam. Naquela noite, após a prece inicial, Fábio leu o trecho O Óbolo da Viúva em O Evangelho Segundo o Espiritismo (capítulo XIII, itens 5 e 6).
         - Acho que não entendi muito bem, disse Susi.
         - Vou tentar contar a parábola de outro jeito - disse Dona Janda. Há uma garota muito rica, que tem muitas roupas. Quando ela não gosta mais de uma roupa, coloca em um enorme baú; quando o baú enche, ela doa as roupas em um orfanato e fica esperando que lhe agradeçam.
         - Uma outra garota, continuou o pai, não tem muitos brinquedos. Ela costuma brincar com as crianças em um orfanato perto de sua casa e, às vezes, leva um de seus brinquedos para doar àquelas crianças que tem menos que ela. Não espera agradecimentos e doa com amor.
         - Qual delas faz a verdadeira caridade? A garota que doa o que sobra e espera agradecimento, ou a que doa pouco, mas faz com amor?
         Antes que alguém pudesse responder, o pai continuou:
         - E uma outra garota, muito pobre, será que ela pode fazer caridade?
         - E o que ela vai dar se não tem quase nada? - pergunta Susi.
         - Amor, carinho, respeito - disse logo a mãe. Ela pode visitar um doente, ajudar um amigo, fazer boas ações, sempre com amor.
         Conversando, eles entenderam que a verdadeira caridade é a que realizamos com amor, sem esperar agradecimentos. E que é possível realizá-la doando coisas materiais e através de pensamentos, palavras e ações.
         Seguiram, então, enviando vibrações para que todas as pessoas compreendessem e praticassem a verdadeira caridade. Terminaram o Evangelho no Lar com uma prece. Mais uma vez, foi um momento importante de esclarecimento, união e amor daquela família.
Cláudia Schmidt

1º. Momento:
  • Boas vindas.
  • Prece inicial.

2º. Momento:
Fazer com que as crianças descubram o tema da aula, através do preenchimento dos traços: __ __ __ __ __ __ __ __ (CARIDADE) que é um dos ensinamentos deixado por Jesus.

3º. Momento:
Perguntar: O que significa a palavra “Não saiba a vossa mão direita o que dar a vossa mão esquerda”.
Anotar as respostas no quadro para conferir depois da aula.

4º. Momento: Leitura da Parábola “Óbolo da Viúva”.
Tecer comentários em torno do texto e fazer comparações.

5º. Momento: Leitura do texto: “Compreendendo a Caridade”, e vê quem chegou mais perto ou acertou nas anotações colocadas por eles no quadro branco.

6º. Momento:
Atividade:
Dividir a turma em dois grupos e dar um minuto pra que eles descubram as três maneiras de se fazer a CARIDADE.

7º. Momento apresentação do slide sobre a “CARIDADE”. (TERCER COMENTÁRIO DE FORA A INTERAGIR COM TODOS DO GRUPO)

8º. Momento: Prece final de agradecimento.

Aula elaborada por Teresinha Medeiros
  

CONTEÚDO                         ATIVIDADE                TÉCNICAS/ RECURSOS

- Prece inicial

Objetivos:

Fazer entender o significado da verdadeira caridade como ensinou Jesus.
.

- Prece final.


Atividade introdutória _ Descobrir através dos traços o tema a ser abordado na aula.

Leitura e interpretação da Parábola “O Óbulo da Viúva” e do texto Compreendendo a Caridade”.

Descobrir através de uma atividades as três maneiras de se fazer a verdadeira Caridade.

Apresentação do slide sobre a Caridade para tecer mais comentários em torno do tema e assim poder  interagir melhor.







.





- Dinâmica introdutória
- Slide.
- Data show
- Painel
- Questionário.
- Perguntas e respostas.
- Papel.
- Lápis grafite.
- Borracha.


Reforma Íntima: Caridade e Amor ao Próximo



POR QUE ESTOU AQUI?   

AULA 4- Reforma Íntima: Caridade e Amor ao Próximo

OBJETIVO: Trabalhar os valores: “caridade e amor ao próximo”

MOTIVAÇÃO: Dinâmica dos Balões

OBJETIVO: Mostrar a importância de procurarmos ajudar o nosso próximo.
TEMPO DE DURAÇÃO: 10 minutos
MATERIAL NECESSÁRIO: Balões
DESENVOLVIMENTO: Organizar os evangelizandos formando um grande círculo na sala e entregar um balão para cada um contendo tira de papel dobrada com uma frase sobre caridade/amor ao próximo. Em seguida, o educador pedirá que os evangelizandos encham os balões e que joguem para o ar durante 1 minuto. Nenhum balão pode cair no chão. Os evangelizandos deverão perceber que devem cuidar do balão dos outros também. Ao final da dinâmica, perguntar aos evangelizandos se foi fácil cuidar de seu balão e o que poderiam ter feito para facilitar seu trabalho.
CONCLUIR: Muitas vezes, ainda pensamos exclusivamente em nós, sem nos preocuparmos com o bem-estar alheio. Mas todos nós dependemos uns dos outros. Não há ninguém que possa viver sozinho.

DESENVOLVIMENTO:

O que é a caridade? Ouvir as respostas.
É o amor em ação e pode ser praticada por todos.  Amor em ação: São atitudes no bem. Caridade é essencialmente amor ao próximo. É amarmos uns aos outros e fazermos a todos o que gostaríamos que nos fizessem.
Explicar as diferentes formas em que o amor se manifesta: o amor de Deus, o amor a natureza e animais, o amor universal, o amor próprio, o amor maternal, filial, o amor entre homem e mulher, o amor a uma causa ideal e o amor como força que move o universo.
Jesus nos ensinou que o nosso primeiro dever é amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo.
Sentimos o amor de Deus em todas as coisas a nossa volta e a mais bela maneira de amar a Deus é amar o nosso próximo.
Quem é o nosso próximo? Ouvir as respostas.
A humanidade inteira.
Quem ama ao próximo sabe perdoar, é bondoso, prestativo, não pensa o mal, tem palavras de carinho para com o próximo.
Como se pode praticar a caridade? Ouvir as respostas.
Exemplos: doação de alimentos, roupas, dinheiro, remédios; atitudes como um abraço, carinho, sorriso, aperto de mão. Pode ser exercida através da prece, vibrações, perdão sincero, sentimentos de amor e carinho, coisas boas que desejamos aos outros; por palavras que expressam amor, consolo e o falar suave, sem gritar; silêncio diante da ofensa, atenção diante de um desabafo de alguém que sofre.
Dando algo que possa ser útil para outra pessoa. Se dermos uma coisa inútil, como um brinquedo todo quebrado ou uma roupa rasgada, não praticamos caridade alguma. Tem valor darmos do que nos sobra, mas muito mais valorosa é a doação que sai do necessário.
Praticamos a caridade também com as palavras, não falando mal dos outros, dando conselhos bons, explicando algo para uma pessoa, animando alguém que está triste, falando bem de alguém de quem estejam falando mal...
 Também somos caridosos quando perdoamos os erros de alguém, ao invés de ficar criticando e contando para os outros.
Todos podem doar parte do seu tempo para trabalhar pelos semelhantes, confeccionando roupas, ensinando algo útil, participando de campanhas para arrecadação de alimentos, lendo para uma pessoa cega ou analfabeta, visitando asilos e hospitais...
E vocês como podem praticar a caridade? Ouvir as respostas.
Mostrar que não zombar dos colegas, não rir de alguém que caiu ou se chocou contra algo, ajudar no entendimento das matérias, dividir o lanche com quem não tem dar informações a um amiguinho que veio de outra escola, não dar muito trabalho às faxineiras, sujando a sala, não dar mais preocupações que as necessárias a pais e professores, não bagunçar a casa, fazer algo para os pais e muitas outras coisas que uma criança pode fazer facilmente são formas de se praticar a caridade.
A caridade moral, como a entendia Jesus, é elucidada na questão 886 de O Livro dos Espíritos, como sendo benevolência (boa vontade) para com todos, indulgência (tolerância) para com as imperfeições alheias e perdão das ofensas.

CONCLUSÃO: A caridade é o amor em ação. A caridade pode ser material ou não, pode ser realizada por ricos, pobres, não depende da idade, da saúde, da religião, do lugar em que se está, ou seja, pode ser praticada por todos.
Jesus nos recomendou, sabiamente, que amássemos uns aos outros. Se fizermos isso, seremos automaticamente caridosos.

ATIVIDADE: Contar a estória "UM PEDAÇO DE CORAÇÃO”. Após contar a estória, entregar um desenho de coração, papel colorido, massinha de modelar, cola e tesoura. As crianças deverão preencher o coração com pedacinhos de papel e massinha formando o coração da estória. (A massinha forma as irregularidades). Pode ser feito individual ou em grupo. Depois cada um vai receber um coração menor e deverá escrever dentro dele o que quer para o seu coração ou o que quer que seu coração esteja cheio... O meu coração está cheio de... No final o evangelizador deverá conduzir o grupo a trocar os corações ao som de uma música apropriada, tipo Coração de Estudante, Canção da América ou outra.

Música:
Janelas do meu coração (César Tucci)
Trenzinho da caridade



UM PEDAÇO DE CORAÇÃO

Um jovem estava no centro da cidade, proclamando ter o coração mais belo da região. Uma multidão o cercou e todos admiraram o seu coração. Não havia marca ou qualquer outro defeito. Todos concordaram que aquele era o coração mais belo que já tinham visto. O jovem ficou muito orgulhoso por seu belo coração.

De repente, um velho apareceu diante da multidão e disse: "Porque o coração do jovem é mais belo do que o meu?”.

A multidão e o jovem olharam para o coração do velho, que estava batendo com vigor, mas tinha muitas cicatrizes. Havia locais em que pedaços tinham sido removidos e outros tinham sido colocados no lugar, mas estes não encaixavam direito, causando muitas irregularidades. Em alguns pontos do coração, faltavam pedaços.

O jovem olhou para o coração do velho e disse:
"O senhor deve estar brincando... Compare os nossos corações. O meu está perfeito, intacto e o seu é uma mistura de cicatrizes e buracos!"

"Sim! - disse o velho - Olhando, o seu coração parece perfeito, mas eu não trocaria o meu pelo seu. Veja, cada cicatriz representa uma pessoa para a qual eu dei o meu amor. Tirei um pedaço do meu coração e dei para cada uma dessas pessoas. Muitas delas deram-me também um pedaço do próprio coração para que eu colocasse no meu, mas como os pedaços não eram exatamente iguais, há irregularidades. Mas eu as estimo, porque me fazem lembrar do amor que compartilhamos. Algumas vezes, dei pedaços do meu coração a quem não me retribuiu. Por isso, há buracos. Eles doem, ficam abertos, lembrando-me do amor que senti por essas pessoas... Um dia espero que elas retribuam, preenchendo esse vazio. E então, jovem? Agora você entende o que é a verdadeira beleza?"

O jovem ficou calado e lágrimas escorriam pelo seu rosto. Ele aproximou-se do velho, tirou um pedaço de seu perfeito e jovem coração e ofereceu ao velho, que retribuiu o gesto. O jovem olhou para o seu coração, não mais perfeito como antes, mas mais belo que nunca. Os dois se abraçaram e saíram caminhando lado a lado.

A tarefa de educação dos filhos



Há algumas décadas, era simplificada pela existência de regras e tradições, as quais eram muito questionadas, tais como: as crianças tinham que obedecer aos mais velhos, não podiam opinar, eram muito surradas, deviam respeitar os pais sem argumentar, enfim, havia uma espécie de código castrador para a educação. A maneira tradicional de criar filhos foi, mais tarde, profundamente questionada Atualmente, os pais estão expostos a urna grande variedade de informações através de livros, revistas, jornais, televisão cinema e outros meios de comunicação. Esta excessiva carga de informações os deixa confusos e sem saber o que realmente fazer com relação à opção de como melhor educar seus filhos. Os pais sentem-se perdidos, inseguros e desorientados em seu papel de educadores, pois são inúmeras as dúvidas que surgem. Muitas vezes, a grande preocupação com a melhor educação a dar, para garantir um desenvolvimento emocional-sócio-efetivo saudável à criança, faz com que a espontaneidade, a intuição e o bom senso dos pais sejam muitas vezes bloqueados. As teorias psicopedagógicas/psicológicas, na maioria das vezes, são mal interpretadas ou até mesmo, não compreendidas ou ignoradas pelos pais, causando com isso uma compreensão distorcida das bases teóricas, gerando formas incorretas de aplicação das mesmas, comumente utilizadas para não traumatizar a criança. O relacionamento entre pais e filhos realmente é algo bastante complexo, pois é preciso tomar muito cuidado com as atitudes que se tem frente à criança e a imagem que se constrói sobre o que é ser bom pai ou boa mãe. A filosofia, crenças e valores pessoais, em relação à educação de crianças e à forma de comunicação, exercem influência marcante na estruturação do relacionamento entre pais e filhos. Muitas vezes, acredita-se que são bons pais aqueles que tudo fazem pela e para a criança, estar sempre à disposição, atender a tudo que a criança pede ou até mesmo tentar adivinhar o que o filho quer .Deve-se ficar atento com esses tipos de atitudes, pois a autonomia da criança pode ficar comprometida, podendo gerar dificuldades com relação ao desenvolvimento de sua independência. Outro fator também importante é a dificuldade dos pais perceberem a criança como pessoa individualizada, portanto diferente deles e nem sempre correspondendo com suas expectativas e ideais. Respeitar a individualidade do filho consiste não apenas em aceitá-lo como pessoa diferente de si mesmo, mas também, em conseguir enxergar que existem várias formas de orientar determinadas situações diferentes dos caminhos que eles próprios por certo se guiaram, por acharem o mais correto ou coerente com seu modo de agir.

Com carinho
Mamy

Higiene e Limpeza – Corpo, Mente e Coração.



OBJETIVO
Conscientizar para a importância da higiene e limpeza do corpo, da mente e do coração, como alternativas para uma boa qualidade de vida material e espiritual.

ATIVIDADE INTRODUTÓRIA/MOTIVADORA
Dividir a turma em três grupos – corpo, mente e coração -, distribuir cartazes e pedir que cada grupo descreva ações de higiene e limpeza, elegendo três delas para representar com mímica, de modo que os outros grupos adivinhem.

DESENVOLVIMENTO DO CONTEÚDO

§ Nosso corpo e nosso Espírito exigem muitos cuidados para serem conservados saudáveis. A saúde é um bem precioso, que não tem preço. Quem tem saúde é alegre, feliz, trabalha, brinca, passeia e estuda melhor. Devemos cuidar de nossa saúde, evitando doenças físicas, mentais e espirituais (obsessões, etc.)
§ Da mesma forma que a boa alimentação (carne, ovos, frutas, verduras...) nos dá saúde e energia para o corpo, os bons pensamentos nos favorecem com a saúde mental e os bons sentimentos nos dão a saúde do coração.

§ A limpeza e higiene do CORPO são fundamentais para a saúde e o bom convívio social e se traduzem no banho, no uso de roupas limpas, no cuidado com as unhas e cabelos e na manutenção de condições sadias de vida. Cuidados que devemos ter com a higiene e limpeza do corpo:
1. Tomar banho diariamente – no nosso clima, três banhos, no mínimo;
2. Lavar as mãos antes das refeições, após usar o sanitário e ao voltar da rua;
3. Manter as unhas cortadas e limpas;
4. Pentear e cortar os cabelos;
5. Escovar os dentes após as refeições e antes de dormir;
6. Usar roupas limpas e colocá-las para lavar sempre que sujarem;
7. Limpar bem as orelhas.
Para tudo isto, há alguns apetrechos indispensáveis: sabonete, shampoo, creme, desodorante, perfume, tesoura de unha, cotonete, tesoura de cabelo, etc.

§ A limpeza e higiene da MENTE são fundamentais para a saúde mental/psicológica e se traduzem em ausência de pensamentos negativos, depressivos, maledicentes, malévolos ou idéias obsessivas... Faz-se higiene mental mediante boas conversações, leituras edificantes, músicas que elevam...
Devemos cuidar dos pensamentos que cultivamos, porque tudo na vida é uma questão de sintonia. Podemos atrair para junto de nós Espíritos infelizes, obstinados no mal, levianos,
etc., a depender da nossa sintonia mental. Devemos cuidar também de reciclar nossa mente, para evitarmos idéias fixas, que, às vezes, nos deprimem.

§ A limpeza e higiene do CORAÇÃO são fundamentais para uma vida equilibrada, harmoniosa e feliz, se traduzindo em ausência de ódio, rancor, desejo de vingança, inveja, maldade... A limpeza e higiene do coração faz-se mediante o uso de atitudes de bondade/caridade, de amor ao próximo, indulgência, perdão, benevolência... Disse Jesus: “Bem-aventurados aqueles que têm puro o coração...”

FIXAÇÃO DO CONTEÚDO

História com interferência:

ü Contar a história QUE COISA ESQUISITA!, com interferência (combinar com as crianças um gesto (uma palma ou um estalar de dedos), após o qual elas devem repetir juntas o título da história.
ü À medida em que o evangelizador vai contando, em momentos estratégicos vai sinalizando para as crianças (*) e elas dizem, em uníssono, “que coisa esquisita!”.
o Joãozinho era um menino bom e simpático, mas...
o Não gostava de tomar banho e escovar os dentes... (*)
o Não gostava de lavar as mãos e de pentear-se... (*)
o Não gostava de cortar as unhas... (*)
o Isso mesmo: não gostava de andar limpo! (*)
o Era mesmo uma coisa muito esquisita! (*)
o Por isso, sua mãe andava muito preocupada e aflita. E muitas vezes tinha que dizer: - Joãozinho, venha tomar banho! - Joãozinho, venha limpar as unhas! - Joãozinho, vá lavar as mãos... - Joãozinho, venha pentear os cabelos!
o E assim por diante...
o Certo dia, a mãe avisou: - Joãozinho, meu filho, todos os seus amiguinhos nadam limpos... Um dia eles não vão mais querer brincar com você! Olhe o que eu estou dizendo...
o Dessa vez, Joãozinho ficou pensando no que sua mãezinha havia dito... quando foi dormir, ainda não tinha esquecido as palavras da mamãe e ficou pensando, pensando, pensando...
o Foi assim que dormiu e começou a sonhar: estava em um lindo jardim florido, onde havia muitas crianças alegres brincando com carneirinhos, coelhinhos e passarinhos de todos os tipos...

DOENÇAS DE ORIGEM ESPIRITUAL



INTRODUÇÃO:

Na última aula falamos sobre os cuidados que devemos ter com o corpo, como a HIGIENE, para termos uma boa saúde física e mental.
A HIGIENE física ajuda a prevenir doenças de origem (?) física.
A HIGIENE mental ajuda a prevenir doenças de origem (?) espiritual.

O que são doenças de origem espiritual? – Isso nós vamos ver na aula hoje.


DESENVOLVIMENTO:

Todos nos somos um conjunto formado por corpo e (?) alma ou espírito, por isso para vivermos vem precisamos estar bem fisicamente e espiritualmente, este equilíbrio significa (?) FELICIDADE.

ü As doenças físicas são causadas por vírus, bactérias, acidentes, etc. (relembrando a aula passada) e são tratadas pela medicina.

ü As doenças de origem espiritual são causadas por problemas de outras vidas ou obsessores.

Exemplos de problemas de outras vidas são: crianças que nascem com alguma deficiência física, doenças hereditárias, como tipos de câncer, diabetes, doenças crônicas, como alergias, problemas de estômago, etc. Isso acontece porque as coisas que fazemos de errado e que não estão de acordo com as leis de Deus ficam marcadas em nosso CORPO ESPIRITUAL(?) (Perispirito) e ao encarnarmos novamente trazemos essas marcas que se manifestam em nosso novo corpo físico. Por isso devemos procurar fazer coisas boas para não acumularmos estas marcas em nosso Corpo Espiritual, começando por uma higiene mental, como por exemplo(?):
Evitar sentimentos como: (cobiça, ódio, preguiça, inveja, ciúme, ambição etc.)
Procurar nutrir bons sentimentos como: (amor, carinho, respeito, caridade, compreensão, tolerância, amizade, etc.)

O que é a cobiça?
A cobiça é um sentimento que se caracteriza pelo desejo muito forte de possuir alguma coisa, mesmo que pertença a outra pessoa.
É um sentimento que tem causado ao nosso planeta muitas guerras entre os povos e, em menor tamanho, muitas brigas entre as pessoas.

• A cobiça é um sentimento comum às pessoas que gostam muito de coisas materiais. São pessoas que colocam a possibilidade de possuir algo como a coisa mais importante das suas vidas.
• O apego às coisas materiais é um gerador do sentimento de cobiça.
• É um sentimento contrário à amizade. Pois aquele que cobiça aquilo que não é seu, não pode ter uma amizade sincera com ninguém.
• Sentimos cobiça quando, por exemplo, queremos ter um brinquedo que não é nosso, quando não dividimos as coisas que possuímos e assim por diante.
O que é a inveja?
• Sentimento misto de desgosto e de ódio provocado pela prosperidade ou alegria de outra pessoa.
• A inveja é um sentimento destruidor. A pessoa que o possuiu tanto faz mal a si mesma, quanto àquele que é a vítima da inveja, porque o invejoso sempre deseja destruir as pessoas ou coisas que despertam sua inveja.
• O invejoso está mais preocupado com a vida alheia do que com a sua. Ao invés de tentar progredir, em crescer tanto materialmente, quanto espiritualmente, ele prefere ficar sofrendo quando vê o sucesso dos outros.
• Todas as pessoas que possuem este sentimento são tristes, irritadas e desagradáveis, justamente porque descuidam da própria vida. Não procuram imitar aquilo que acham bom e certo, mas sim, preferem lamentar-se e vibrar negativamente.
• Assim como a cobiça, a inveja também é um sentimento contrário à amizade. A amizade não tolera a inveja.
• Somos invejosos quando, por exemplo, desejamos que aquele brinquedo de um amigo, que é mais bonito que o nosso, se quebre, somente para que nós continuemos a ter o melhor.
• Quando desejamos que aquele aluno que só tira notas boas, tire um grande zero, para sermos melhor do que ele.
O que é o ciúme?
• Inquietação causada por suspeita ou receio de perder a pessoa amada ou alguma coisa.
• É um sentimento parecido com a inveja.
• Pessoas muito orgulhosas possuem no ciúme a manifestação do seu orgulho.
• O ciumento é aquele que sente seu orgulho ferido, pois acredita que tudo e todos devem girar a sua volta. Quando percebe que isto não acontece, fica contrariado, tornando-se uma pessoa desagradável e até vingativa.
• A insegurança é uma causa que faz alguém ser ciumento. Acredita que as pessoas não gostam dela, sente-se incapaz que realizar tarefas que para outras pessoas são coisas simples. Assim, ao invés de perceber suas deficiências e tentar superá-las, prefere colocar a culpa das suas limitações nas pessoas que o rodeiam.
• Ninguém gosta de ter amizade com pessoas ciumentas.
• Sentimos ciúme quando, por exemplo, não gostamos de ver nossos amigos brincando com outras crianças.
O que significa ter amizade por alguém?
• Sentimento de afeição. Estima, apreço. Benevolência, bondade.
• Ter amizade é respeitar, querer bem, ajudar.
• Quando procuramos nos livrar dos sentimentos negativos, colocando a amizade em primeiro lugar, espalhamos ao nosso redor um campo agradável de bem estar, onde todos que se aproximarem serão atraídos pela nossa presença.
• Nós podemos perceber quando estamos em um lar onde a amizade entre os seus membros predomina, quando nesse lar o ambiente é agradável e existe no ar um sentimento de positividade, respeito e amor.
• Perdoar nossos inimigos é dar-lhes uma prova de amizade.
• Enfim, a amizade é o contrário de todos os outros sentimentos que vimos anteriormente. A amizade constrói, perdoa, ama, consola, ensina e evolui.
• Semear a amizade aonde quer que estivermos, é semear o evangelho que Jesus nos ensinou.
• Conclusões:
• O orgulho ferido, a ambição frustrada, a cobiça, a inveja, o ciúme, todas as paixões, numa palavra, são torturas para o nosso espírito.
• Para aquele que a inveja e o ciúme atacam, não há calma, nem repouso possíveis.
• Os objetos de sua cobiça são como fantasmas que lhe não dão tréguas e o perseguem até durante o sono.
• O invejoso e o ciumento vivem ardendo em contínua febre. Com as suas paixões, ele cria para si mesmo suplícios voluntários, tornando sua vida na Terra um verdadeiro inferno.
• O homem só é infeliz pela importância que dá às coisas deste mundo. Fazem-lhe a infelicidade a vaidade, a ambição e a cobiça desiludidas.
********************************************************************************

EQUILÍBRIO FÍSICO E MENTAL


Objetivo:

- Mostrar que o estado de espírito e o estado físico convivem em harmonia divina e perfeita.

Subsídios:

- Biologia Segundo Grau. Albino Fonseca. Unidade X. Higiene e Saúde. Ed. Ática.
- A educação segundo o Espiritismo. Dora Incontri. Cap. XVI. A Educação Moral. Edições FEESP.
- Doença e cura à luz do Espiritismo. Dulcídio Dibo. Cap. 1. Doenças. Ed. DPL.
- Quem ama não adoece. Marco Aurélio da Silva.Cap. VII. Doenças Psicossomáticas. Ed. Best Seller.
- Sites:
www.stetnet.com.br/vidasaude/pag10.htm
www.nib.unicamp.br/suol/mente.htm
www.cityalpha.com.br/../asmental.htm
Prece de abertura


Incentivação inicial:

Desenhar ou esticar uma linha no chão e imitar um equilibrista andando com os braços abertos. Perguntar para a classe o que isso significa e o que é necessário para que o equilibrista não perca o equilíbrio.


Desenvolvimento:

Conforme pudemos observar, para que o equilibrista não perca o equilíbrio torna-se necessário que ele não penda para nenhum dos lados. É preciso o equilíbrio para que a queda não ocorra.

Assim acontece conosco em nosso dia a dia. Para que consigamos nos manter em equilíbrio, precisamos ter: autocontrole, estabilidade mental e emocional, relações sociais saudáveis, boa saúde, etc.
E o que é Saúde? A Organização Mundial de Saúde (OMS) define saúde como “um estado completo de bem-estar físico, mental e social que não consiste apenas na ausência de doença ou enfermidade”.
Dessa forma, percebemos que para estar saudável e manter o equilíbrio precisamos de alguns cuidados para conosco. E quais poderiam ser esses cuidados? Um deles, certamente, é a necessidade de uma alimentação saudável e regrada dentro das possibilidades de cada pessoa. Um outro cuidado, também muito importante, é a manutenção da higiene.

E o que é Higiene? Higiene é a parte da Medicina que estuda os meios próprios para conservar a saúde, a fim de permitir o funcionamento normal do organismo, bem como estabelecer a harmonia das relações entre o Homem e o ambiente tentando eliminar as influências nocivas que esse ambiente possa ter sobre o ser humano. Assim sendo, são importantes os seguintes aspectos: higiene da habitação, higiene corporal, higiene alimentar e profilaxia das doenças contagiosas (através do uso de vacinas).

Além desses pontos, devemos considerar a necessidade da Higiene Mental, pois conforme o conceito de Saúde, o bem-estar também deve ser mental. A higiene mental implica na elevação do pensamento e por isso todo aquele que se alimenta mentalmente de imagens e propósitos saudáveis, equilibrados e bons, atrairá para si afinidades nesse sentido e conseqüentemente se sentirá bem.
Todos nós conhecemos frases do tipo: “Quem canta seus males espanta”, “O bom humor afasta as doenças”, “vive melhor aquele que ri mais” etc. Com isso, percebemos que o bem ou mal-estar mental/emocional, reflete-se em nosso estado físico. Quem nunca ficou com dor de cabeça depois de um problema? Quem nunca ficou com o coração disparado e as mãos geladas ao se deparar com um perigo?

A Medicina nos fala de doenças psicossomáticas (do termo psique = mente e soma = corpo), ou seja, distúrbios físicos causados por transtornos psicológicos e sociais. Alterações mentais como o estresse, depressão, medo, ansiedade, raiva, etc., podem provocar vários problemas orgânicos como: asma, rinite, úlcera, artrite reumatóide, hipertiroidismo, diabetes, hipertensão arterial, doença das artérias coronárias, derrame, enxaqueca, problemas com menstruação, etc.

Tendo em vista essa enorme série de prováveis problemas a que estamos sujeitos devido a descontroles mentais/emocionais, seguem algumas sugestões: ter uma distração; ter amigos; conversar sobre assuntos agradáveis; sorrir; servir e fazer os outros felizes; estar alegre; orar e ter fé em Deus, confiar e entregar-se a Ele; descansar das preocupações e dos problemas não pensando neles nos momentos de repouso.

Se associarmos essas sugestões aos cuidados com nosso corpo (higiene, boa alimentação, repouso, exercícios, etc), com o ambiente físico em que vivemos (limpeza, ordem, etc), e com nossos relacionamentos sociais (boas companhias, freqüentar locais saudáveis, etc), certamente teremos maiores chances de nos manter em equilíbrio físico e mental e conseqüentemente a uma maior qualidade de vida.
Avaliação / Fixação:

Opção 1:

Dividir a classe em grupos para a confecção de cartazes relacionados ao tema da aula. No final do tempo estipulado para a atividade, cada grupo apresentará suas idéias para os demais amigos.

Opção 2:

Elaborar com a classe duas tabelas do tipo: 10 sugestões para o equilíbrio físico e mental e 10 sugestões para o desequilíbrio físico e mental. Os alunos poderão copiar as tabelas e levar para casa como forma de fixação do tema.


HIGIENE COMO FORMA DE SAÚDE



INTRODUÇÃO:

Na semana passada falamos sobre saúde do corpo e da mente, e como funciona o corpo por dentro. Hoje vamos falar da higiene como forma de saúde, os cuidados e o zelo que devemos ter com o corpo.

DESENVOLVIMENTO:

A infância é uma fase na vida muito importante, porque o espírito (nós) estamos em uma fase em que estamos nos preparando para a vida, recebendo a educação e o encaminhamento proporcionado pelos pais. Com uma preparação adequada teremos melhores condições para lidar com as situações programadas por Deus para nós ( como o nosso consentimento) .
Essa preparação requer muitos cuidados entre eles o Zelo com o corpo, como no caso de hoje a Higiene.
É bom lembrar que existem dois tipos de higiene quem sabe?
• Higiene com o corpo físico.
• Higiene com a mente.
Hoje falaremos sobre a importância da higiene com o corpo físico.

O carroceiro tem um cavalinho que serve para o seu trabalho de todos os dias, é nele que coloca o peso que precisa carregar, é com ele que ganha seu sustento, é ele que o leva para onde precisamos ir.
O cavalo é para o carroceiro o corpo é para nós, por isso assim como o carroceiro precisamos cuidar bem do corpo alimentando bem, cuidando para ele não se machucar, limpa-lo, se não ele não terá condições de servir-nos com precisamos.

Quais são os cuidados de higiene que devemos ter com o corpo?

• Escovar os dentes pelo menos três vezes ao dia.
• Lavar as mãos antes de comer.
• Tomar banho pelo menos uma vez ao dia
• Usar roupas limpas (mesmo que não sejam novas o importante e estar limpinho)
• Lavar os alimentos antes de comer (por causa dos micróbios ocultos)
• Manter a casa onde moramos sempre limpas
• Não andar descalço (além de higiene não machuca os pés)
• Cabelos sempre lavados
“Quando eu era criança assim como vocês meus eu levava uma vida também muito difícil, eu também ia a uma casa de sopa. Meus pais não tinham dinheiro para comprar roupas bonitas, mas o meu uniforme era sempre limpinho. Um dia na escola o marido da diretora desencarnou, e eles precisavam de três crianças para representar a escola em uma” visita a Diretora, então escolheram os mais bem arrumados, eu apesar de não ter roupas novas meu uniforme era sempre limpinho e por fui um dos escolhidos entre todos, eu fiquei muito orgulhoso por ser um dos que foram visitar a diretora ““.

Contar a historia do Jeca Tatuzinho e cantar, musica e fazer últimos comentários.
JECA TATUZINHO


DE MONTEIRO LOBATO
Adaptação de Maria R. do Amaral
Tema: Higiene, Saúde e Trabalho


Jeca morava no sitio. Era solteirão, por isso vivia só.
Não totalmente, porque tinha um cão preto, sempre por perto. O apelido de Jeca Tatu advém da maneira como vivia. Caipira assumido e sempre muito sujo.
Daí o TATU que é um animal que vive em buracos na terra.
Morava em uma tapera cheia de buracos, onde a lua faz clarão.
Também não consertava nada. No quintal só se viam um frangainho magricela, um patinho sem mãe e uma leitoazinha que corria por todos os lados em busca de alguma comida.
Jeca, de cócoras, no quintal tomava sol. Não calçava, pois não tinha sapatos. Um chapéu de palhas, camisa xadrez e uma calça surrada.
Plantar? Qual o que. Tinha muita preguiça. Meia dúzia de covas
para o plantio do milho, e já entregava a rapadura. Buscar lenha no mato,
era outra dificuldade. Vinha sempre com uns poucos gravetos nas costas.
O melhor era descansar. Deitava-se em baixo de una árvore e ferrava no sono.
O cãozinho aderira a vida e o caráter do dono. Estirado nas pernas do Jeca dormia a sono solto.
Ah! Mais a marvada da pinga, estava sempre por perto. Era o que atrapalhava e muito.
Um dia passou por ali um médico que ao ver o Jeca, naquele estado de penúria, e amarelo de tanta debilidade física, compadeceu-se dele e pediu para que mostrasse a língua. Logo em seguida disse; Você esta com a língua muito suja. Com certeza está com estômago e intestinos em mau estado. Venha á cidade em meu consultório, que vou providenciar uns exames e ver como está sua saúde.
Jeca foi ao consultório do Doutor e depois e feito alguns exames, o médico concluiu que ele precisava fazer um bom tratamento, alimentar-se melhor e deixar a cachaça.
Além do mais, você precisava andar calçado, pois pela sola dos pés, é que passam os micróbios que danificam a sua saúde. Mostrou através de uma lente de aumento a ação dos micróbios. Jeca ficou abismado com o que ficou sabendo.
Até o cãozinho preto do caipira estava de testemunha do que o doutor falava.
Na volta para casa, Jeca passou na farmácia e já mandou aviar a receita Eram algumas vitaminas e Biotônico Fontoura um fortificante porreta. Comprou também algumas frutas e legumes ovos e leite, passando a se tratar melhor.
E não deu outra. O nosso Jeca começou a ficar forte e passando a mão em um machado, cortava lenha em abundância. Depois quando ia ao mato buscar lenha, trazia um belo feixe na cabeça Começou a tomar gosto pela coisa e a sua plantação de milho, feijão e mandioca começou a produzir.
Saia para caçar e não tinha medo de nada. Ouvia a onça rugir e enfrentava a danada com socos e queda de braços. As feras corriam logo,
embrenhavam-se pelo mato e Jeca ficava vitorioso no confronto. Sua fama alastrou-se na redondeza.
Ficou gordo e bonitão. Arrumou até casamento.
Fez uma casa maior e bem feita, com varanda e tudo mais. Andava de chapelão e botas. Teve filhos que ele também não deixava que andassem descalços. Pois sabia agora quanto vale a saúde.
Tão compenetrado era, com respeito a isso, que até seus porcos e galinhas, tinham botinas.
Criava porcos em pocilgas bem construídas e duas vezes por ano, levava-os em seu caminhão
Para vende-los no mercado da cidade. Comprou mais terras e formou uma pequena fazenda a quem deu o nome de Fazenda Feliz.
A sua vida, ficou totalmente modificada e para muito melhor. Tinha telefone, e uma TV que via á noite, sentado em uma cadeira de balanço.
A sua casa era bem arrumada, com um relógio que batia as horas.
Em fim, o nosso antigo caipira, era hoje homem de negócios e aos domingos, ia á cidade, cavalgando um belo cavalo alazão, soltando boas baforadas de seu charuto.
Conclusão: O Jeca de outros tempos, agora transformado em seu estado de saúde e progresso financeiro era mesmo um vencedor na vida.
Graças a modificação de sua conduta em relação a higiene, a saúde e ao trabalho.


ATIVIDADE:

CUIDADOS COM O CORPO



Devemos cuidar do nosso corpo pois ele e um presente de Deus , cada pedacinho do nosso corpo tem uma função, as mão servem pra ...os pés... a boca...etc..
Ev. Cap.17 (sede perfeitos)cuidar do corpo e do espírito
LE ( cap. XII- Da perfeição moral)

PARA COLORIR
by: Alice Lirio

TÉCNICAS DE "QUEBRA GELO" PARA APLICARMOS EM SALA DE AULA


4- Valor do Trabalho em Grupo

Objetivo: Demonstrar o valor do trabalho em grupo
Material: Jornais, tesouras e cola

Procedimento: Um grupo trabalhará individualmente, separando os
participantes que deverão recortar braços, pernas, corpo e cabeça. Cada um
deverá trabalhar sem se comunicar com os colegas.
Outro grupo deverá executar a mesma tarefa mas trabalhando juntos.
Depois de um tempo pré determinado, comparar os trabalhos.

Comentários: Questionar os participantes quanto ao trabalho em grupo e o
individual.

Caridade no lar



Obs.: O Evangelizador deverá levar para a aula vários fantoches de pessoas ou animais.

Primeiro momento: iniciar a aula pedindo para cada criança encenar, através de fantoches, pequenas tarefas que podem fazer para colaborar no lar. Anotar os exemplos no quadro:
Lavar a louça;
Tirar o pó dos móveis;
Ajudar a estender as roupas no varal;
Servir suco para o amigo;
Ajudar nas compras no supermercado;
Cuidar do irmão menor quando solicitado.
Obs.: levar uma relação de exemplos para aquelas crianças que tiverem dificuldades (veja sugestões abaixo), que poderão ser escritos em papéis pequenos e solicitado a criança que escolha um.

Segundo momento: conversar com os evangelizandos sobre a importância da colaboração no lar. O lar se torna mais tranqüilo e feliz quando todos se ajudam. No lar qualquer colaboração é importante. Toda tarefa realizada com amor resulta em benefício para todos os membros da família. Explicar que Jesus colaborava com seus pais quando era criança, que aprendeu o ofício da carpintaria, ajudando o seu pai em pequenas tarefas enquanto ele trabalhava. Pedir para as crianças contarem as tarefas que elas realizam em casa ou gostariam de realizar.
Assim como nós vamos aprendendo as coisas de um ano para outro na escola, nossos pais também aprendem coisas ao longo da vida deles. Quando eles dizem que devemos comer tal coisa, ou fazer tal coisa, isso é o melhor para nós naquele momento.
Ajudar em pequenas tarefas no lar e obedecer os pais é tarefa de cada criança.

Atividade: Cada criança deverá desenhar pequenas tarefas que podem fazer para colaborar no lar.

Texto:
Colaboração no Lar
No lar toda colaboração é importante. Devemos colaborar com pequenos serviços que resultam em benefício de todos.
Um brinquedo no lugar, fazer um doce gostoso com a mamãe, uma peça de roupa cuidadosamente guardada são serviços com Jesus, que ajudam a tornar o lar tranqüilo e feliz.

Exemplos de situações que podem ser encenadas pelas crianças:Lavar a louça
Arrumar os brinquedos
Tirar o pó
Arrumar o quarto
Recolher o lixo
Não brigar com os irmãos
Cuidar dos irmãos
Cuidar dos livros
Estudar
Secar a louça
Ajudar nas compras no supermercado
Colaborar no Evangelho no Lar
Molhar as flores
Ajudar a estender as roupas no varal
Guardar as roupas
Fazer um doce gostoso com a mamãe
Ajudar o irmão a fazer os temas
Saber ouvir
Ser bem humorado
Dar comida aos animais
Dar água aos animais
Dar banho ou ajudar a lavar o cachorro
Limpar as sujeiras do cachorro
Ler uma história para o irmão menor
Guardar a escova e a pasta dental no lugar
Guardar a escova de cabelos no lugar
Ajudar os pais quando solicitado
Ser educado com os familiares
Ser educado com as visitas
Ser educado com os vizinhos
Ajudar a lavar as calçadas
Arrumar o vaso de flores sobre a mesa.

Prece de encerramento

by: Alice Lirio

COMO UTILIZAR PARABOLAS NA EVANGELIZAÇÃO



COMO UTILIZAR PARABOLAS NA EVANGELIZAÇÃO


1- INTERPRETAÇÃO DOS SÍMBOLOS

INTERPRETAR O SIGNIFICADO DOS SÍMBOLOS NAS PARÁBOLAS: NA PARÁBOLA DO SEMEADOR AS SEMENTES E OS DIFERENTES TERRENOS ONDE AS SEMENTES CAÍRAM; NA PARÁBOLA DA OVELHA DESGARRADA O QUE SIGNIFICAM O PASTOR, AS CEM OVELHAS, A OVELHA DESGARRADA.

2- HISTÓRIA EM QUADRINHOS

CRIAR UMA HISTÓRIA EM QUADRINHOS COM TEXTOS(BALÕES) OU SEM TEXTO, QUE REPRODUZA A SEQUÊNCIA DOS FATOS APRESENTADOS EM UMA DETERMINADA PARÁBOLA.

3- PERSONAGENS E MENSAGENS

QUAIS OS PERSONAGENS QUE ENTRAM EM CENA EM DETERMINADA PARÁBOLA E QUAL A ATITUDE DE CADA UM DELES? O QUE VOCÊ APRENDEU COM ESSA PARÁBOLA? QUAL A MENSAGEM PARA O HOMEM DE HOJE?

4- COMPARAÇÃO DE TEXTOS

COMPARE O TEXTO DE UMA PARÁBOLA EM EVANGELHOS DIFERENTES. LOCALIZE POR EXEMPLO A PARÁBOLA DO SEMEADOR EM LUCAS(8:4-8) COMPARE COM O TEXTO DE MATEUS(13:1-9) E MARCOS(4:1-9). QUAIS SÃO AS SEMELHNÇAS E DIFERENÇAS ENTRE ELES?

DISCUTA AS DIFERENÇAS: SERÁ QUE POSSUEM ALGUM SIGNIFICADO ESPECIAL?

5- REPÓRTER

FEITA A ENCENAÇÃO, UM EVANGELIZADOR(REPÓRTER)ENTREVISTA OS QUE PARTICIPARAM DA ENCENAÇÃO. POR EX: O QUE VOCÊ SENTIU FAZENDO O PAPEL DA SEMENTE QUE CAIU NO MEIO DO ESPINHO?(PARÁBOLA DO SEMEADOR).

6- REFLEXÃO EM GRUPO

REFLEXÃO COM TODO O GRUPO REUNIDO INDEPENDENTE DO NÚMERO DE PESSOAS QUE ESTEJAM PARTICIPANDO. POR EX: ALGUÉM LÊ EM VOZ ALTA A PARÁBOLA DO BOM SAMARITANO. EM SEGUIDA O EVANGELIZADOR PERGUNTA: O QUE O OUTRO SIGNIFICA PARA VOCÊ?
É MUITO IMPORTANTE QUE A REFLEXÃO NÃO FIQUE SÓ NO CAMPO DAS IDÉIAS.POR ISSO AO FINAL DO ENCONTRO O EVANGELIZADOR DEVE FAZER OUTRA PERGUNTA QUE FAÇA COM QUE O GRUPO ASSUMA AQUILO QUE REFLETIU. POR EX: NO CASO DO BOM SAMARITANO QUAL SERÁ NOSSA MANEIRA DE AGIR EM RELAÇÃO AO OUTRO DE HOJE EM DIANTE?

7- JORNAL MURAL

CONFECÇÃO DE UM JORNAL MURAL COM UM ASPECTO QUE FOI DISCUTIDO EM DETERMINADA PARÁBOLA. POR EX: ALGUÉM LÊ EM VOZ ALTA A PARÁBOLA DO BOM SAMARITANO. EM SEGUIDA O EVANGELIZADOR FAZ UM PEQUENO COMENTÁRIO E PROPÕEM AO GRUPO(OU GRUPOS) A CONFECÇÃO DE UM JORNAL MURAL COM O TEMA: "A SOLIDARIEDADE NO MUNDO DE HOJE!.
O EVANGELIZADOR DEVERÁ FORNECER O MATERIAL PARA A CONFECÇÃO DO JORNAL MURAL: PAPEL PARDO, REVISTAS, JORNAIS(PARA RECORTAR) COLA, PINCÉIS ATÕMICOS, ETC.
OUTRA SUGESTÃO : A PARTIR DA PARABOLA DO JÓIO CONFECCIONAR UM JORNAL MURAL COM O TEMA: "O HOMEM PODE TRANSFORMAR O MUNDO EM QUE VIVE".

8- OUTRA HISTÓRIA

USANDO A IDÉIA CENTRAL DE UMA PARÁBOLA, O EVANGELIZADOR DEVE INVENTAR UMA HISTÓRIA OU CONTAR UMA HISTÓRIA REAL. O IMPORTANTE É QUE A OUTRA HISTÓRIA APRESENTE A MESMA IDÉIA CENTRAL DA PARÁBOLA QUE FOI ESCOLHIDA.

9- COMPARAÇÃO DE MENSAGENS

AS PARÁBOLAS SÃO MUITO RICAS DE SIGNIFICADOS. EM UMA MESMA PARÁBOLA CADA PESSOA PERCEBE ASPECTOS DIFERENTES. PODE-SE ENTÃO APROVEITAR ISSO EM UMA ATIVIDADE ESPECÍFICA. FORMAM-SE VÁRIOS GRUPOS(MÍNIMO DE TRÊS MÁXIMO DE CINCO PESSOAS) QUE FICARÃO ENCARREGADAS DE DESCOBRIR UMA MENSAGEM DA PARÁBOLA. DEPOIS REUNE-SE TODOS OS GRUPOS QUE IRÃO LER AS MENSAGENS ENCONTRADAS. O PLENÁRIO DEVERÁ ELABORAR UMA ÚNICA MENSAGEM QUE CONTENHA IDÉIAS ENCONTRADAS PELOS GRUPOS.

10- MENSAGEM ILUSTRADA

FORMAR VÁRIOS GRUPOS QUE RECEBERÃO CADA UM DELES UMA PARÁBOLA. NINGUÉM DEVE SABER A PARÁBOLA QUE FOI DESTINADA AO OUTRO GRUPO. CADA GRUPO DEVE DESCOBRIR A MENSAGEM DA PARÁBOLA QUE RECEBEU E ILUSTRÁ-LA ATRAVÉS DE UM CARTAZ(DESENHOS, RECORTES DE REVISTAS, JORNAIS, ETC). O CARTAZ NÃO PODERÁ TER NENHUMA LEGENDA, TÍTULO, FRASE, ETC. CADA GRUPO APRESENTARÁ SUA MENSAGEM ILUSTRADA E OS DEMAIS PROCURARÃO DESCOBRIR DE QUE PARÁBOLA TRATA. 

contribuição da Alice Lirio

Apostila para download: ARTE NA EDUCAÇÃO DO ESPÍRITO


PEDAGOGIA APLICADA À EVANGELIZAÇÃO
A ARTE NA EDUCAÇÃO DO ESPÍRITO
Revista Pedagógica

SÓ CLICAR NA FIGURA E ABRIRÁ NOVA PAGINA:
http://www.4shared.com/office/RpDVSJbI/arte_na_educacao.html