AMAR A SI PRÓPRIO – AUTO-ESTIMA



Você é luz! – disse Jesus.
A amar e perdoar Ele veio nos ensinar.
Mas se de mim eu não gostar,
Como ao próximo hei de amar?
Todos nós somos filhos de Deus, ele nos criou e cuida de nós, sempre.
Cada um de nós é muito importante para Deus, somos seus filhos amados.
Ele nos dotou com a capacidade de pensar; somos criaturas inteligentes, capacitadas para progredir e evoluir. Dotou-nos também com a capacidade de amar; aprender a amar é de vital importância para nós, pois é através da convivência com o próximo que conquistamos a perfeição moral.
Jesus veio à Terra nos ensinar a importância do amor e do perdão. Eles nos disse:

“Ama a teu próximo como a ti mesmo”.
Mas como poderemos seguir este que é o maior dos ensinamentos, se não amamos a nós mesmos?

Parece impossível que alguém não goste de si mesmo, mas não é assim tão raro.
Existem pessoas que não conhecem sua importância na obra divina, não conseguem enxergar a Deus e o seu próprio papel nesta engrenagem maravilhosa da vida e do universo, que se sentem inferiores, sem valor.
Somos todos criaturas de Deus, temos um destino sublime que é a perfeição.
Somos eternos!
Não devemos alimentar nossa vaidade e egoísmo mas, sim, ter a consciência de nossa parte no cenário da vida. Alguns já aprenderam que somos todos iguais perante Deus, outros ainda não, mas todos chegaremos lá.

E o que seria, exatamente, a auto-estima?
A palavra já diz que é estimar-se, gostar de si mesmo.
Qual o modo correto de aplicar a auto-estima em nossa vida?
Respeitar-se, tornar-se uma pessoa melhor a cada dia, cuidar do corpo físico, evitando abusos e excessos.

Buscar sempre aprender de forma humilde, mas firme e perseverante, Ter fé e confiança em Deus e em si mesmo.
Desenvolver hábitos saudáveis.

Boa alimentação, higiene pessoal, cuidar da espiritualidade, estar sempre ligado a Deus, estudar, Ter lazer saudável, convivência harmoniosa com todos.
Viver em paz e harmonia com as leis de Deus.
Entender que possuímos o corpo físico, a condição social e a família que no momento são os mais adequados para nossa evolução, e isto não nos torna melhores ou piores.
Saber que podemos, apesar de certas dificuldades, dar o melhor de nós, nos esforçarmos para viver bem e em paz com todos.
Só podemos dar o que possuímos e se devemos amar ao próximo, devemos aprender a nos amar.
Não podemos Ter complexo de inferioridade ou pena de nós mesmos, esses sentimentos, além de atrasarem nossa evolução, adoecem a alma e, consequentemente, o corpo físico.
Mas podemos, e devemos, tentar modificar o que nos faz infelizes; claro que nos baseando nos valores morais ensinados por Jesus.
Devemos aprender que a verdadeira felicidade nasce em nós mesmos. Não podemos encontrar a felicidade em bens materiais ou em relacionamentos, pois ela não estará lá. A felicidade é uma conquista que chega juntamente com nossa evolução e com o aprendizado do verdadeiro amor.



0 comentários:

Postar um comentário