AMAI-VOS UNS AOS OUTROS – O QUE É O AMOR?





1. OBJETIVOS
Amai-vos uns aos outros.  O que é o amor?  Levar as crianças a entender o que é o amor e as diferentes formas de amar.

. DESENVOLVIMENTO
Explicar o que é o amor e as diferentes formas que ele se manifesta: o amor de Deus,  o amor universal, o amor próprio, o amor maternal, filial, o amor entre homem e mulher, o amor a uma causa ideal e o amor como força que move o universo.
Amor é aquele sentimento tão sublime que fica difícil transcrever em palavras.  Mas todos já sentimos e sabemos o que é.
Amar não é só achar bonito, achar legal ou só fazer bem.  É tudo isso e muito mais, porque o amor transporta as nossas definições de beleza e de simpatia.
Jesus nos ensinou que o nosso primeiro dever é amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo.
Sentimos o amor de Deus em todas as coisas a nossa volta e a mais bela maneira de amar a Deus é amar o nosso próximo.
Quem é o nosso próximo?  A humanidade inteira.
Quem ama ao próximo sabe perdoar, é bondoso, prestativo, não pensa o mal, tem palavras de carinho para com o próximo.
Mas existe diferença entre amar ao próximo e amar a minha mãe, o meu pai ou o meu marido/esposa?
O amor é o mesmo, só que no caso do marido/esposa ou namorado esse sentimento é somado a afinidades e a disposição para construir uma vida juntos.
No caso do pai e da mãe o sentimento do amor é somado a gratidão, carinho e a proximidade.
O amor é uma linguagem universal, por que não necessita de palavras para se manifestar.

3. TEXTO DE APOIO:
O amor é feito de infinito…

Porque o amor é feito de infinito ele permanece.
Jamais acabará.

A linguagem do amor é universal.
Ultrapassa os limites da ignorância e da sabedoria humana.
Podemos desconhecer códigos, línguas, sinais, expressões, costumes, culturas, porém, jamais desconheceremos a linguagem do amor.
Podemos divergir nas idéias, podemos ter gostos diferentes, mas, uma realidade, em nossas vidas nos identifica e nos une: o  Amor.
Pense um pouco!
Você pode ver, falar, ouvir, andar, sorrir e mais, muito mais…
… o impacto da vida faz você descobrir que há esplêndidas forças do Amor encerradas no seu ser!
Você descobre que pode amar, muito mais do que pode enxergar.
O amor é mais forte que a luz e ele que a faz existir!
E mesmo se você nada enxergar, ainda assim poderá amar intensamente!
Você pode amar muito mais do que  ouvir, saber ou falar.
O amor não é uma idéia, nem precisa de palavras!
Ele acontece também no silêncio…
O silêncio é a atividade mais profunda do amor que escuta!
Você percebe que pode amar muito mais do que se movimentar, agir, atuar.
O amor não é apenas ação.
Amor é vida!
É dinamismo interior!
O que ama não fica na morte (*)
O amor é a razão de ser de tudo na vida!
… a razão de ser de uma lágrima!
… de um sacrifício!
… a razão de ser de um perdão!
… de uma entrega total!
Toda vibração que há no mundo, os sorrisos, os gestos de bondade, a vida que manifesta, a criação, todo esforço de perfeição…
Tudo tem sua razão de ser no amor!
O amor jamais acabará.
Deus, plenitude do amor, tudo fez por amor.
Fez também seu coração para ser pleno, pleno de infinito e como infinito é só o amor,
Deus fez seu coração para amar!  E só para amar!
Você ama plenamente quando não deixa passar um único ser sem o amar..
… quando não consegue ficar em si, mas precisa estar no outro para comunicar-lhe a vida!
… quando encontrando no outro se esquece plenamente de si!
Você ama plenamente quando envolve de imensa paz tudo o que você vê!
Quando enche de luz o ambiente em que você vive e conduzido pela sua harmonia interior você embeleza o que suas mãos tocam!
Você ama plenamente se é capaz de sofrer com um sorriso nos lábios…
… se é capaz de sustentar uma cruz bendizendo a Deus…
… se é capaz de carregar a cruz do outro mesmo que a sua já lhe pese sobre os ombros!
Você ama plenamente se é capaz de alegrar-se com a alegria do outro!
O amor é paciente,
é bom…
não é invejoso,
não se irrita,
não julga mal.
Tudo desculpa, tudo crê, tudo sofre.
O amor é fecundo: todos os gestos de bondade que você semeou e deixou florir, frutificarão no amor.
E o amor que você deu condições de frutificar saciará o seu próprio coração e o plenificará de infinito.
Suas palavras ditadas pelo amor,
seus gestos conduzidos pelo amor,
seu olhar iluminado pelo amor,
farão nascer a vida que é a expressão de amor!
Tudo passa, tudo morre, mas o amor há de ficar!
O amor permanece sempre!

4. FIXAÇÃO
Jogo: Carinhos quentes

Dividir a sala em equipes e fazer perguntas sobre a aula.  Quem acertar ganha um carinho quente.
O carinho quente é um saquinho com uma letra da frase: “Amai-vos uns aos outros”.
Fazer o número de jogos de saquinhos equivalente ao número de grupos que pretende formar.  Se dividir a sala em 03 grupos fazer 03 jogos de frases de modo que cada grupo possua uma frase completa (identificar os saquinhos com cores e números)
O vencedor é a equipe que primeiro conseguir todos os envelopes e montar a frase.

REENCARNAÇÃO



BIBLIOGRAFIA ( além da bibliografia básica)
Prática Pedagógica na Evangelização (vol. 2); A irmãzinha de Maurício – Ed. O Clarim – Elfay L. Appollo
OBJETIVO:
  • A criança deverá compreender que os espíritos desencarnados aguardam no M. Espiritual a oportunidade da reencarnação
  • A criança deverá concluir que enquanto espíritos no M. Espiritual, escolhemos nossos pais que deverão nos ajudar
DESENVOLVIMENTO:
  • Hoje iremos conhecer Maurício e sua família.
  • Aconteceu uma coisa muito interessante com Maurício. Ele recebeu uma visita muito importante, só que muitas pessoas só acreditaram nele muito tempo depois.
  • Vamos conhecer a história de Maurício?
  • Depois de conhece- la vamos entender muitas coisas que acontecem com a
gente.
SUGESTÃO PARA CONTAR A HISTÓRIA:
  • ampliar os personagens, colorir, e fazer fantoches de vara (colar o personagem em um papel mais firme e colocar uma vareta para poder segurar.
  • As crianças poderão participar segurando os personagens enquanto se conta a história.
  • Para envolve- las na história, começar a narrativa pedindo que elas imaginem um jardim bem florido, bem bonito, onde o Maurício estava brincando, e só então apresentar o personagem.
REENCARNAÇÃO:
  • Durante, ou antes da narrativa, lembra- las do M. Espiritual, conversando sobre as maquetes que elas construíram.
  • Lembrar que os Espíritos enquanto aguardam seu retorno a terra ficam se preparando, estudando e trabalhando para poder aproveitar bem sua encarnação.
  • Explicar que os bebês (espíritos) não nascem ao acaso, em qualquer lugar, já eram amigos no plano espiritual e planejaram juntos esta nova vida, para que uns pudessem auxiliar os outros.
Após a narrativa, onde deve- se explorar bastante o assunto. Dizer que iremos fazer um livro com a história do Maurício, e que este livrinho ficará em nossa biblioteca, disponível para quem quiser ler.
A MONTAGEM DO LIVRO.
Cada criança fará uma parte do livro:
  • Umas deverão colorir as páginas;
  • Outra deverá ficar responsável pela página com o título;
  • Deixar que as crianças criem uma capa para colocar no livro.
** Se não for possível terminar em uma aula, deixar o término para a próxima aula, aproveitando o mesmo tema: A Reencarnação.

QUANTO AMOR!!: Teatro


HISTÓRIA (TEATRO) 
QUANTO AMOR!!
MARIANA (reúne as colegas da escola): - Vamos fazer um grupo de estudo Você
Judith Vá pegar lápis e caneta, você Marcela traga as pranchetas e você César seja cavalheiro e traga as cadeiras.
CÉSAR - Eu sabia, sempre o pesado fica para o sexo masculino.
JUDITH - Como reclama, mas que tipo de estudo nós iremos fazer, porque se
for Geografia ou Matemática, eu estou fora...
MARCELA - Você não conhece a Maria, o negócio com ela é tudo no mistério,
rá, rá, rá...
CESAR - Não me diga que você vai falar de fantasma. É.... porque vocês sabem
né, que a Mariana é espírita e ela já tentou me converter mas ainda não
conseguiu.
JUDITH - Olha, eu não importo de ir na sua religião desde que seja no dia
de Cosme e Damião.
MARCELA - Pois se eu fosse a Mariana, ai é que eu não lhe convidaria.
MARIANA - Vocês querem parar de falar tanta bobagem eu apenas estou esperando a Catarina.
Entra CATARINA - Oi, oi, trouxe tudo sobre a vida dele.
JUDITH - Espere aí, vamos falar de quem?
MARCELA - Dependendo da fofoca eu até que fico.
MARIANA - Eu quero falar pra vocês sobre este ilustre e grande homem que
foi: ALLAN KARDEC.
MARCELA - E o que ele fez de importante? Já sei! Ele inventou uma maneira
pra gente se apaixonar pela pessoa certa! Ah! Que maravilha!
CATARINA - Ai, meu Deus, tem gente que só cresce o corpo mesmo...
MARIANA - Não tem problema pessoal, apenas eu acho que a gente tem que aprender tudo nesta vida, não é só Geografia e Matemática, mas existem coisas após a morte que desconhecemos, e que este homem maravilhoso que teve o pseudônimo de ALLAN KARDEC, nos trouxe conhecimentos nota dez!
JUDITH - Nossa! Pessoal, sentiram firmeza no pseudônimo!
MARCELA - Não ligue Mariana, estamos brincando com você. Você sabe que
somos suas amigas até debaixo d'água.
CATARINA - Então vamos provar esta amizade procurando pelo menos ouvir o
que a nossa amiga tem de importante pra nós!
MARIANA - Gente vocês precisam ir na Evangelização, olha a gente aprende
tanta coisa importante, que nas Escolas comuns, ainda não é ensinado.
JUDITH - Não enrola vai, deixa de tanto papo furado e vai direto ao assunto.
CATARINA - Pode deixar amiga, que eu te auxilio.
MARIANA - Obrigada prima!
CATARINA - Imagine vocês naqueles tempos antigos de mil oitocentos e parampampam, onde a ignorância e o preconceito contra o Espiritismo eram bem
maiores que agora, porque se hoje em dia a burrice ainda persiste...
MARIANA - Catarina, controle-se!
CÉSAR - Muito bem maninha, tchau pra vocês...
MARIANA - Por favor, mano precisamos de uma figura masculina para nos apoiar.
CÉSAR - Eu vou sair com o Renato.
JUDITH - Nossa! Você tem coragem de sair com aquele menino?
CÉSAR - O quê , que... tem ele, só porque ele não se dá com os pais, ai é que ele precisa de um amigo!
MARCELA - Cuidado com as companhias, amigo!
CÉSAR - Ah cai fora, eu sei o que faço, eu vou tirar um cochilo e depois vou encontrá-lo para sairmos a noite.
MARIANA - Está bem mano, que teu Anjo Guardião te inspire os teus caminhos a
seguir.
CÉSAR - Quanta besteira! Tchau pra vocês.
JUDITH - Mas fale do tal Allan não sei o quê!
MARCELA - Ë Allan Kardec.
CATARINA - Ai, meu DEUS, eu vou desmaiar, é muita besteira para um dia só!
MARIANA - Calma Catarina! Marcela, Judith, o nome é ALLAN KARDEC, ele
começou a estudar o Espiritismo através dos fenômenos e que ficou muito
famoso o fenômeno das mesas girantes e assim começou o estudo de que, não
eram as mesas que queriam comunicar-se, mas sim Espíritos. Que havia vida
após a morte e que podemos apesar de estarmos em moradia diferente, mas
podemos nos comunicar com os Espíritos.
MARCELA - Gente, mas não dá medo isso?
CATARINA - Claro que não, e foi isso que o ALLAN KARDEC através de estudos
com o auxilio dos Espíritos, ele escreveu cinco obras básicas e que auxiliou
as pessoas a pararem com essas idéias de fantasma, de coisa do mal.
MARIANA - E ele mostrou que quanto mais cedo nós começarmos esses estudos
nós entenderemos e viveremos melhores, compreendendo até aqueles chamados
milagres que JESUS fazia.
JUDITH - Nossa! Mas esse homem então era poderoso!
CATARINA - Digamos que não, mas enviado de DEUS para nos mostrar a terceira
Revelação.
JUDITH - Ih! Complicou agora e quais foram as anteriores?
MARIANA - A Primeira Revelação foi MOISÉS, trazendo o Amor através das
Leis, e a Segunda Revelação foi JESUS, que exemplificou o Amor e a Terceira
Revelação é o Espiritismo trazido pós ALLAN KARDEC que nos trouxe o Amor
através das comunicações com os Espíritos, recebeu esse pseudônimo porque o
seu Mentor Espiritual havia sido seu amigo numa encarnação onde ele era
padre e tinha esse nome.
MARCELA - Então qual é o nome dele Mariana?
MARIANA - o nome dele é: HIPPOLYTE LEON DENIZARD RIVAIL, nasceu na França em 03 de outubro de 1804.
JUDlTH - Ah! Ele não é brasileiro...
CATARINA - Nós temos brasileiros geniais da Doutrina Espirita como: BEZERRA
DE MENEZES, EURÍPEDES BARSANULPHO, CHICO XAVIER etc... mas foi graças ao ALLAN KARDEC que tudo se iniciou, ele foi o precursor digamos assim dos
outros, como JOÃO BATISTA foi de JESUS.
MARCELA - Uau! Vocês realmente conhecem o assunto!
JUDlTH - É ...é bem interessante não é Marcela!
MARCELA - Nossa! Parece legal, estou começando a me entusiasmar.
MARIANA - Agora vamos ver umas fitas lá em casa que a professora da
Evangelização me arrumou e que são super legais...
JUDlTH- E bom nós ficarmos num quarto separado para não incomodarmos o
César...
Enquanto isso, CÉSAR já deitado e o seu espírito sai no sonho e encontra uma
moça bonita e diz: Nossa! Quem é você? Por um acaso seria uma pretendente
querendo me declarar em sonho por não ter coragem de me fazer uma declaração?
ANJO GUARDIÃO - Não seja convencido, sou seu Anjo da Guarda, apenas isso!
CÉSAR - Anjo da Guarda mulher! Não pode ser!
ANJO GUARDIÃO - Nós Espíritos mais elevados, não temos o chamado preconceito e pensei que você também não tivesse, porque sou eu que te protejo o tempo todo.
CÉSAR - Ah! Essa não!
ANJO GUARDIÃO - Essa sim! Estou apenas querendo avisá-lo que este menino chamado Renato irá desencarnar neste passeio que você quer fazer com ele, porque as companhias que ele irá encontrar o levarão a morte através das drogas.
CÉSAR - Êpa! Espera aí, eu nunca vi o Renato usando drogas!
ANJO GUARDIÃO - Pois é, você devia dar mais ouvidos a sua irmã Mariana, e até estudar na Evangelização com ela, e meu querido é um conselho de uma protetora que lhe quer muito bem. Não saia com ele, porque senão você estará envolvido na causa da sua morte. Lembre-se deste meu conselho e não vai. Farei tudo que puder para não deixá-lo ir!
VANESSA - Ei primo, não vai acordar não! Você pediu para chamá-lo às 20
horas e já são 22 horas, acho que você está atrasado para o encontro com o
Renato.
CÉSAR - É mesmo! Preciso me arrumar!
ANJO GUARDIÃO (do seu lado inspirando-o) - Não vá, não vá!
CÉSAR - Alguma coisa me diz para não ir, é já que estou atrasado mesmo, amanhã eu falo com o Renato, acho que vou dormir mais um pouco eu não me lembro direito do sonho mas havia uma moça muito bonita no meu sonho.
VANESSA - Meninos! Só pensam em garotas, garotas...
CÉSAR - Claro! Você queria que eu pensasse em garotos, garotos...
VANESSA - Não banque o bobinho, você me entendeu!
ANJO GUARDIÃO - Graças a DEUS meu amor, durma bem! De manhã ao acordar...
MARIANA - César, César, olha só quem morreu ontem a noite?
CÉSAR - Mas não se pode dormir mais nesta casa!
MARIANA - (Lendo o jornal) - Renato Junqueira é encontrado morto as 23hs na
rua General Câmara, 80.
CÉSAR - Pare com isso! Isso é alguma brincadeira de mau gosto por um acaso!
MARIANA - Claro que não meu irmão está aqui! Encontraram-no morto de tanta
droga que ele usava.
CÉSAR - Meu DEUS! Agora me lembro do sonho!
VANESSA entra correndo - César você já sabe?
CÉSAR - Sim! Já sei! (ainda tentando lembrar do sonho).
MARIANA - O que você tem mano, já sei, com todos os seus defeitos ele era um
grande amigo, não é irmão.
CÉSAR - Não é isso! É que... deixe-me a sós por favor...
VANESSA - Coitado foi um baque violento prima, vamos vibrar pelos dois.
MARIANA - Boa idéia Vanessa.
CÉSAR sozinho - Meu DEUS! Obrigado minha Anja, esteja aonde você estiver.
ANJO GUARDIÃO - De nada, sempre estarei com você, procure ficar receptivo às
minhas sugestões e o mal não terá forças para atingi-lo. E não esqueça de ir
para Evangelização com a sua irmã.
CÉSAR - E acho que a minha Anja está por perto, pois estou tendo idéia de ir
para a Evangelização.
VANESSA entra - César, a Mariana pediu para que eu insistisse com você para irmos na aula de Evangelização, as meninas já estão todas ai, vamos dar um passeio e depois iremos para a aula, por favor, vamos! Você precisa fazer novos amigos.
CÉSAR - Está bem eu irei.
VANESSA - Nossa! Eu nem acredito, pensei que fosse ser tão difícil convencê-lo!
CÉSAR - Pode acreditar, eu irei sim!!!
VANESSA - Ai que maravilha, a Judith trouxe violão e a Catarina está cantando uma música em homenagem a ALLAN KARDEC.
CÉSAR - Puxa vida que legal, pode ir indo que eu vou tomar um banho e logo estarei pronto.
VANESSA - Está bem, vou avisar o pessoal.
CÉSAR - Mais uma vez muito obrigado minha Anja (jeitinho presunçoso e dá uma piscadinha), isso é que é amor, uau.
ANJO GUARDIÃO - Que DEUS te abençoe meu lindo menino, tchau...
FIM
(http://www.saccec.org.br/)

LIVRE ARBÍTRIO




Livre-arbítrio quer dizer livre escolha, livre opção. Em todas as situações da vida,
sempre temos duas ou mais possibilidades para escolher.
E a cada momento a vida nos exige decisão.
Sempre temos que optar entre uma ou outra atitude.
Desde que abrimos os olhos, pela manhã,
estamos optando entre uma atitude ou outra.
O ouvir o despertador podemos escolher
entre abrir a boca para lamentar por não ser nosso dia de folga
ou para agradecer a Deus por mais um dia de oportunidades, no corpo físico.
Ao encontrarmos o nosso familiar que acaba de se levantar,
podemos escolher entre resmungar qualquer coisa,
ficar calado, ou desejar, do fundo da alma, um bom dia.
Quando chegamos ao local de trabalho,
podemos optar entre ficar de bem com todos ou buscar o isolamento,
ou, ainda, contaminar o ambiente com mau humor.
Conta um médico que trata de pacientes com câncer,
que as atitudes das pessoas variam muito, mesmo em situações parecidas.
Diz ele que duas de suas pacientes, quase da mesma idade,
tiveram que extirpar um seio por causa da doença.
Uma delas ficou feliz por continuar viva e poder brincar com os netos,
a outra optou por lamentar pelo seio que havia perdido,
embora também tivesse os netos para curtir.
Quando alguém o ofende, você pode escolher entre
revidar, calar-se ou oferecer o tratamento oposto.
A decisão sempre é sua.
O que vale ressaltar é que todas as ações
terão uma reação correspondente, como conseqüência.
E essa reação é de nossa total responsabilidade.
E isso deve ser ensinado aos filhos desde cedo.
Caso a criança escolha agredir seu colega e leve uns arranhões,
deverá saber que isso é resultado da sua ação
e, por conseguinte, de sua inteira responsabilidade.
Tudo na vida está sujeito à lei de causa e efeito:
para uma ação positiva,um efeito positivo,
para uma ação infeliz, o resultado correspondente.
Se você chega no trabalho bem humorado, alegre, radiante,
e encontra seu colega de mau humor,
você pode decidir entre sintonizar na faixa dele
ou fazer com que ele sintonize na sua.
Você tem ainda outra possibilidade e escolha: ficar na sua.
Todavia, da sua escolha dependerá o resto do dia.
E os resultados lhe pertencem.
Jesus ensinou que a semeadura é livre, mas a colheita é obrigatória.
Pois bem, nós estamos semeando e colhendo o tempo todo.
Se semeamos sementes de flores, colheremos flores,
se plantamos espinheiros, colheremos espinhos.
Não há outra saída mas o que importa, mesmo, é saber que a opção é nossa.
Somos livres para escolher, antes de semear.
Aí é que está a justiça divina.
Mesmo as semeaduras que demoram bastante tempo para germinar,
um dia darão seus frutos.
São aqueles atos praticados no anonimato, na surdina,
que aparentemente ficam impunes.
Um dia, ainda que seja numa existência futura, eles aparecerão e reclamarão colheita.
Igualmente os atos de renúncia, de tolerância, de benevolência,
que tantas vezes parecem não dar resultados,
um dia florescerão e darão bons frutos e perfume agradável.
É só deixar nas mãos do jardineiro divino,
a quem chamamos de Criador.


O dia de amanhã trará os resultados do dia de hoje.
As existências futuras lhe devolverão a herança que hoje lhes entrega.
É assim que vamos construindo nossa felicidade ou a nossa desdita,
de acordo com a nossa livre escolha,
com o nosso livre-arbítrio.
Pensemos nisso!
(chegou-nos sem menção de autoria ou fonte, se souber qual seja, por favor, nos informe , a fim de darmos os devidos créditos)

MEDO DA MORTE



Não devemos temer a morte; devemos temer, antes, uma má vida, que é pior que a morte.
A morte não é a da matéria, porque o que se dá nesse caso não é uma morte no sentido de fim; mas uma transformação. A nossa matéria ressurge então sob nova forma, assim como o grão que, aparentemente morto quando enterrado na cova, ressurge para o bem do próprio homem.
A verdadeira morte é a morte moral, essa que mata o conceito e liquida a credibilidade do homem; que traz o remorso que aniquila a consciência; que faz com que o homem se envergonhe de se olhar num espelho.
Teme mais a morte do corpo aquele que já se acha moralmente morto; o que se envergonha do presente e teme o futuro, porque tem contra si o libelo dos próprios atos, da conduta reprovável.
Quer dizer, o que leva o homem a temer a morte, a apavorar-se diante da idéia de morrer, não é simplesmente o instinto de conservação, nem a ignorância em relação à vida. É acima de tudo a consciência culpada.
Os mártires caminhavam para morte sem medo, transbordantes de esperanças, cantando até, tal como ocorreu com os primeiros cristãos levados às feras nos circos e às fogueiras da Inquisição.
Já os grandes tiranos, os grandes culpados sempre fugiram e ainda fogem hoje da morte. A ameaça da morte os atormenta em todos os tempos. Consta que a toda poderosa Elizabeth da Inglaterra, que mandara decapitar a prima Maria Stuart, da Áustria, oferecia no leito de morte todo o seu reino por mais um minuto de vida. Nuremberg até hoje procura os exterminadores de judeus, os responsáveis pelos grandes holocaustos e genocídios, que escreveram com sangue as páginas de horror da história da humanidade. Estes já estão moralmente mortos, punidos pelo tribunal da própria consciência culpada.
A morte é diferente, porém, nas expectativas do homem de consciência limpa. O mártir Sebastião não a temeu. E, mesmo tendo que a enfrentar, mais cedo ou mais tarde, quer na quitação dos débitos, quer nas imposições do testemunho de sua fé e do ideal superior, ele saberá repetir com toda a força da alma o desafio que Paulo lançou para sempre, através do capítulo 8,55 da sua primeira epístola aos Coríntios: “Ò morte, onde está a tua vitória? Onde está o teu agulhão?” 
Deocleciano

O Medo



 Objetivo Evangélico:         
Levar as crianças a compreenderem o que significa o medo, quando o  sentimos, porque sentimos medo, do que temos medo e como lidar com ele. Levá-los a entender que nunca estamos sós, sempre temos Deus ao nosso lado, nossos anjos guardiães, que embora invisíveis para nós, sempre estão presentes em nossa vida através da bondade divina de Deus nosso Pai, somos sempre amparados mesmos nos momentos de grande dificuldade e medo.
 Para os Pequenos:
1) História O que tem dentro do ovo? ( Telma Guimarães Castro de Andrade)
2) A história será passada com dramatização dos professores. Fizemos um Grande Ovo de papel marché, aberto ao meio, e colocamos lá dentro o ornitorrinco, também feito por nós. Fizemos um pequeno buraco por onde passávamos as coisas para ele, toda, as crianças participaram perguntando também e interagindo com o ovo. Foi muito lega !
3) Reflexões :    Porque o ornitorrinco não queria sair de dentro do ovo?
Porque ele tinha medo de sair de dentro do ovo?
Como o menino fez com ele confiasse nele?
Quando ele saiu do ovo foi bom?
4) Explicação do Tio Gaspar no Livro Se Ligue em Você.
Existe uma luzinha em nosso peito. Uma luz que os olhos não vêem, mais que podemos sentir. Quando ela se acende aparecem sentimentos bons em nosso peito e ficamos muito alegres. Quando ela se apaga tudo parece mais feio e você fica triste. Ela se acende quando pensamos positivo, quando temos boas atitudes, quando fazemos algo de bom.
Mais muitas vezes nós deixamos nossa luzinha se apagar. Quando ela se apaga você sente MEDO.
O medo aparece quando você pensa que uma coisa ruim pode acontecer com você ou alguém de quem você gosta. Quando você tem Coragem a luzinha volta a se acender. Coragem é o nome que se dá ao sentimento que acontece quando você acredita que só coisas boas vão acontecer com você e com os outros. Muitas vezes, a gente não gosta de ir ao quarto sozinho, porque está escuro. Nós temos medo do escuro. A gente fica imaginando que tem coisas feias lá. Assim, ficamos tristes, pois apagamos nossa luzinha do peito. Mas é só imaginação. Na nossa cabeça, podemos inventar de tudo. Se você imagina que está vendo um cachorro, você desenha o cachorro dentro da sua cabeça. Mas o cachorro não está lá de verdade é só imaginação. Medo é só imaginação.
Da próxima vez que você sentir medo, não deixe sua luzinha se apagar. Pense que no escuro tem muitas luzinhas invisíveis e alegres mandadas por Deus nosso Pai que estão lá para  proteger você. Entre no escuro com coragem e se sentirá feliz. Quando você sentir medo de qualquer coisa, pense assim: "Todo esse medo é só imaginação", " eu sou corajoso", e a luzinha se acenderá cheia de brilho.
4) Fazer o fechamento que todos devemos lembrar da Prece no momento das nossas dificuldades maiores.
 
Vivência Evangélica: Vamos dar outro Final para a História do que tem dentro do ovo?
Realizar pintura colocando na ordem a História Sequenciada.

A História :  O QUE TEM DENTRO DO OVO?
 
  Vovó Letícia resolveu fazer um bolo de chocolate. Então ela tirou 3 ovos da geladeira, colocou o leite para ferver junto com a margarina. Pegou a farinha e quando procurou pelo fermento não encontrou.
 _       Rafael venha cá, fique tomando conta do bolo enquanto eu vou na quitanda comprar fermento.
 Fiquei pensando oh negócio besta esse, ficar tomando conta de um bolo que ela nem tinha começado, se esse bolo tivesse pronto e guardar ele dentro da minha barriga, isso sim. Então perguntei:
 _       Vó é para tomar conta do quê ?
_        Dos ovos, ora. Parece que tem um ovo meio diferente aí no meio. E saiu.
 Fiquei olhando os ovos, peguei o ovo que ela disse que parecia estar diferente, chocoalhei. Será que é um ovo de pata? Perguntei:
 _       Tem gente ? disse brincando...
_        E o ovo respondeu : Tem ! A minha voz quase sumiu de susto. Peguei o ovo com cuidado e fui para um quartinho nos fundos do quintal. Coloquei ele numa vasilha com um pano dentro com todo cuidado para não quebrar.
_        Oi ovo eu sou o Rafael ! Tudo bem com você? O ovo não respondeu estava mudo, será que eu tinha sonhado. Ouvi um barulho, vovó estava voltando.
_        Vovó o ovo falou comigo. Isso  as vezes acontece filho. Mas, vó ele só falou uma vez ! O que é que eu faço para ele falar comigo de novo ?
_        Ora filho use a sua imaginação. Melhor coisa não há !
 Passei três dias tentando fazer com que o ovo falasse comigo, No quinto dia dia tive uma idéia. Peguei uma canetinha e desenhei uma porta no ovo. Em cima da porta eu escrevi porta, para ficar bem claro o que era.
 _       Pronto ! Agora você já pode sair ! Eu disse em voz alta.
_        Por quê ?  a vozinha perguntou lá de dentro.
_        Porque eu já desenhei a porta ! eu respondi todo feliz. Bem que a minha vó disse, temos que usar nossa imaginação.
_        Aqui tá escuro, não dá pra ver nada. Ele reclamou. Eu tive vontade de rir mais aguentei firme.
_        Vou fazer uma lanterna bem pequenininha pra você, tá bom?
_        Tá, vai.... É o jeito ! Fiz a lanterna abri uma janelinha e joguei lá dentro.
_        E aí deu para pegar ?
_        Deu vê se da próxima vez que for jogar alguma coisa joga com mais cuidado quase me arrancou a cabeça.
_        Você está muito bravo. Deu para ver alguma coisa? Está vendo a palavra porta ?
_        Não dá para ver quase nada, tudo aqui é muito apertado. De mais a mais, não sei ler...
 _       Vou fazer uma cartilha para você aprender, daqui de fora vou te explicando. Vamos vê se você para de enrolar e sai logo aí de dentro. Não sei do que você tem medo.
 Fiz coloquei pelo buraquinho e depois de três dias de treino, ele já sabia ler algumas coisas, mas reclamava muito.
 _       As letras são muito miudinhas.
_        Tá bom vou fazer um óculos para você. Levei um tempão para fazer uns óculos microscópicos para ele. E aí consegue ler ?
_        Melhorou ! Ele foi curto e grosso. Fo-me. Ele soletrou a primeira palavra.  Fui até a cozinha e peguei alguns doces e bolo para ele comer. Logo depois ele escreveu um bilhetinho, e mandou pelo buraquinho, precisei de uma lente aumento.
Em primeiro lugar, sou um bebê. Em segundo não tenho dentes... Em terceiro, os doces acabaram e ainda estou com fome ! Será que não tem um pudim de minhocas ou uma sopa de lesmas ?
 
Então fui no quintal peguei umas minhocas, fiz um creme e coloquei no buraquinho. Ele adorou. Dois dias depois voltei a perguntar.
 _       Como é, vai sair ou não vai?
_        Eu não ! ele respondeu. _   Tá tão bom aqui dentro. E depois, vai que eu saio e você me come, feito aquela história do Chapeuzinho Vermelho, que li num livro que você me deu.
_        Puxa você está com medo de mim e do mundo aqui fora ? Será que eu t      tenho cara de monstro ? Perguntei.
_        Não sei... Não dá para ver daqui de dentro ! Ele respondeu.
 Fiz então o meu retrato e coloquei no buraco. Enquanto ele via o meu retrato falei.
 _       De repente o monstro é você, vai saber!  Depois de alguns minutos ele jogou um papelzinho.
Esse sou eu. Tenho cara de monstro ? Fala, conta a verdade! Nem eu sei ! Não me achei em nunhum livro que você me deu. Assinado. O que tem dentro do ovo.
O pior é que nem eu sabia.  Corri para falar com a vovó.
_        Vovó, meu amigo tem Bico parecido com o de pato. Patas de dedos ligados por peles, como as de patos. Põe ovos como a pata, mas o filhote mama o leite da mamãe. O mais importante: não é pato.
 _       Ah, o seu amigo é um or-ni-tor-rin-co. Ela disse com todas as letras.
 _       Corri para contar ao meu amigo, ele estranhou um pouco um nome tão comprido. Ainda assim tive um trabalhão danado para convencer ele que o mundo aqui fora não era tão perigoso assim, que existiam amigos em quem ele podia confiar, que eu estaria do seu lado. Até que acabei convencendo meu amigo e ele quebrou o ovo e saiu. Decidimos que chamaríamos ele por outro nome, assim o chamamos INCO.
INCO achou o mundo aqui fora maravilhoso. Ele ficou tão feliz que agora decidiu ajudar todos as pessoas que sentem medo a descobrirem as coisas maravilhosas que a vida tras, assim ele resolveu escrever um livro. O livro conta a história de um monstro meio bonzinho.
 Advinhem o nome do livro ?
 O QUE TEM FORA DO OVO ?

 (chegou-nos sem menção de autoria ou fonte, se souber qual seja, por favor, nos informe a fim de que possamos dar os devidos créditos)

Entendimento: ESCOLA ESPIRITA DE EVANGELIZAÇÃO


Objetivo: Levar a criança a demonstrar seu entendimento, sua visão sobre a Escola Espírita de Evangelização

Bibliografia básica: codificação : LE, LM, ESSE.

Incentivação Inicial: Bate-papo relembrando a aula anterior

Desenvolvimento:

Confecção de Cartaz intitulado: A Escola Espírita de Evangelização:
Dividir a turma em dois grupos; entregar uma cartolina de cor diferente para cada grupo; solicitar que montem um cartaz referente a como entendem ou enxergam a escola espírita de evangelização e qual modificação ela pode nos trazer.

Material necessário:

Duas cartolinas de cores diferentes
As respostas que sobraram do joguinho da aula anterior
Revistas para recorte
Tesoura
Cola
Lápis e canetas
Borracha

Material de apoio: quadro fixado na parede , montado no jogo da aula anterior.