DIGA NÃO À DESMOTIVAÇÃO!!!!!!!


Quantas vezes temos ouvido de evangelizador frases como “Não tenho gabarito para uma tarefa de tão grande importância”, ou “Eu sou muito imperfeito para essa tarefa”, ou “Jesus necessita de espíritos melhores para alguma coisa tão grande”, ou “Os espíritos nobres que cuidam da Evangelização no Planeta jamais achariam em mim um instrumento para que a tarefa seja cumprida, pois sou muito imperfeito”, ou “Sou pequeno demais”, ou “Tenho muitos defeitos”, ou coisas do tipo. Na verdade, o que não falta é frase derrotista para essa lista.


Aí, para completar, alguma aula não atinge o que eu gostaria ou planejei e vem a frustração, desmotivação. Uma suposta constatação de que realmente tenho que parar...

Ora, essa desmotivação é resultado, muitas das vezes, de uma visão distorcida que estou tendo da tarefa. Costuma ser fruto de uma visão imediatista de resultados e de uma falta de concentração no objetivo real da evangelização.

Ficou repetitivo mediante o que já estudamos aqui no blog, não?

Ficou não. Ainda temos dúvidas em conjunto sobre isso. Nossa ficha ainda não caiu e ainda nos vemos fazendo planejamento puramente didático de uma aula, com preocupações muito imediatistas quanto aos resultados dessa semeadura, sem vistas futuras, sem planejamento em longo prazo.

E aí ficamos frustrados, desmotivados, nos achando incapazes de uma tarefa tão grande, com idéias derrotistas e não verdadeiras de nosso real papel na seara do Cristo. Daqui a pouco estamos abandonando a tarefa e perdendo uma oportunidade de ouro em nossa reencarnação, e uma oportunidade que nós mesmos pedimos (ou imploramos?!) e para qual fomos preparados no plano espiritual, pois ninguém está na tarefa por acaso. Ou seja, possuímos todos os recursos para o sucesso do empreendimento, sem dúvida.

Acontece que, uma vez reencarnados, é natural ficarmos um pouco confusos no início de nossa tarefa, já que o esquecimento do passado não nos permite lembrar na íntegra toda a preparação que tivemos no Plano Espiritual. Mas ela está aqui, em nós, no nosso subconsciente e, se vencermos as idéias derrotistas frutos de nosso imediatismo e nosso comodismo, com certeza podemos nos certificar disso. Além disso, ainda temos uma enorme equipe de especialistas desencarnados que nos ajudam sempre que solicitamos ajuda e nos colocamos em sintonia com eles, com uma prece e boa vontade com o trabalho.

Como diria Oscar Wild, TODO O UNIVERSO ESTÁ CONSPIRANDO A NOSSO FAVOR. Todo um conjunto enorme de espíritos iluminados, responsáveis pelo processo de Regeneração Planetária, está conosco nesta tarefa. Não estamos sozinhos, espiritualmente falando

Materialmente falando, também não, pois os evangelizadores, de modo geral, todos fazemos parte de uma grande equipe, que não trabalha sozinha. Podemos contar com nosso coordenador, desde que refreemos nossas tendências ao melindre ou à super sensibilidade, com nossos colegas da mesma casa, com colegas de outras casas, de outras cidades, outros estados. Prova disso é este blog. Tenho batido papo com pessoas do Brasil inteiro, o que tem me deixado muito feliz. Somos muitos. Uma equipe enorme, Graças a Deus. Podemos falar qualquer coisa, menos que estamos sozinhos.

Não é uma visão otimista apenas. É uma visão real, baseada em constatação lógica.

Ora, seremos menos pessimistas e mais eficientes quando aprendermos a visualizar a evangelização como um todo. Com resultados para uma reencarnação, e não somente para a infância de um espírito. E às vezes, não somente para a reencarnação, mas para a evolução de um espírito.

Quando preparo um tema, tenho que ter em mente que aquilo é apenas parte de um conjunto coeso, que está sendo trabalhado o ano inteiro. Existe um tema anterior e um posterior que devem encadear-se. E todos juntos formam um objetivo anual, que não foi pensado apenas como instrumento para ensinar doutrina espírita às crianças, mas como um programa elaborado para favorecer o sucesso da evangelização, mediante as características das crianças daquela casa espírita.

Na casa em que freqüento, o temário é decidido após uma análise do ano que termina, os resultados que podemos observar nas crianças, as dificuldades que elas apresentam de modo geral, as habilidades que vêm desenvolvendo, as necessidades que demonstram, seja em sala ou na vivência familiar. As observações dos evangelizadores, no que diz respeito a cada criança, acaba traçando um perfil geral da sala de evangelização. E isso acaba gerando um perfil geral da tarefa, que conduz a criação do temário anual. E este se torna um instrumento importante para auxiliar o evangelizador a organizar seus objetivos dentro das necessidades de suas crianças.

Eis uma visão mais ampla de minha tarefa. Com base nessa visão, fica bem mais fácil eu traçar o objetivo daquele tema, no contexto geral, para cada criança.

Ex: O Tema Perispírito. O Tema anterior era Imortalidade da Alma, e o Posterior será Plano Espiritual. Encadeando estes temas, já tenho um objetivo mais ou menos traçado, não é verdade? Sendo assim, me pergunto: dentro do perfil geral de minhas crianças, qual o objetivo de minha aula? Que tipo de temática moralizadora vou aliar ao conhecimento doutrinário e evangélico? Por exemplo, ao estudar perispírito, posso abordar questões como obediência, disciplina, vigilância... Traçando esta diretriz, qual passagem do Evangelho vou trabalhar? Posso trabalhar a Parábola do Festim das Bodas ou a Passagem que Jesus diz que a Candeia do corpo são os olhos, para trabalhar meu comportamento e meu perispírito, por exemplo. Qual enfoque doutrinário vou utilizar? Quais questões do Livro dos Espíritos? Qual item de O Evangelho Segundo o Espiritismo? Posso trabalhar os Fluidos neste contexto, estudando a Gênese, de Allan Kardec. Vou utilizar quais obras subsidiárias? O livro Evolução Em Dois Mundos trás aspectos muito interessantes, trabalhando, por exemplo, o corpo mental, que muito interessa quando desenvolvo essa temática.

Quando me faço esse tipo de pergunta, consigo me direcionar melhor nos estudos e focalizar melhor meus objetivos. As idéias fluem naturalmente. Surgem idéias, dinâmicas, lembramos músicas da evangelização que podemos usar, recordamos algumas histórias, lembramos dos amigos que podem nos auxiliar...

E os resultados vão aparecendo aos poucos, mandando a desmotivação embora.

Em tarefas sérias como a Evangelização, não podemos jamais dar espaço a idéias derrotistas e pessimistas. Somos todos, dentro de nossas possibilidades, trabalhadores de Jesus e o Cristo jamais abandona seus trabalhadores.

Não pensemos naquilo que ainda não temos para dar. Pensemos naquilo que já temos e como podemos potencializar esses recursos para desenvolvermos nosso trabalho de maneira eficaz.

Tudo se torna mais fácil e gostoso quando eu entrego a direção do trabalho a quem ela realmente pertence: A Jesus.

Se eu realmente creio que Jesus está tomando conta de sua Seara, vou compreender que eu não estaria nesse trabalho se não tivesse nada a oferecer. Ora, se Ele me aceitou no trabalho, apesar de todas as minhas dificuldades, ao invés de perder tempo contabilizando os meus problemas evolutivos ou meus defeitos, eu serei mais produtiva potencializando aquilo que pode favorecer meu crescimento dentro da tarefa.

Ninguém precisa ser perfeito para estar na tarefa de evangelização. Mesmo porque, se precisasse, não haveriam trabalhadores, já que o planeta ainda não é um Mundo Ditoso, não é verdade? Mas, com certeza, todos nós necessitamos da tarefa para nos aperfeiçoar.

VAMOS LÁ! SORRIA! VOCÊ É UM TRABALHADOR DO CRISTO. FOI ESCOLHIDO POR ELE ESPECIALMENTE PARA ESTA TAREFA!
by JANAINA FARIAS

3 comentários:

Samuel disse...

Obrigado querida! Ler sua mensagem me fez bem

Luciene Miranda Beheraborde disse...

Que isso Samuel...precisando estamos aqui!!! Beijos

Carol Fontes disse...

Adorei o texto!! Cabe perfeitamente a muitos trabalhadores da Casa que frequento...;)

Postar um comentário